2013-04-07

A Guerra Fria nas escolas

Como bem sabem, no início da década de 40 grande parte da Europa estava sob jugo Alemão. Os poucos "neutrais" (Portugal, Espanha, Suiça...) eram de tal modo irrelevantes militarmente que podem bem ser esquecidos do mapa neste período da história.

Avançamos para 45-46, e a Europa é libertada por (grande parte) forças Americanas e começa assim a ideia do "Ocidente", moderno, culto, informado vs a hoste vermelha Soviética (escravizados, sem cultura, drones em fábricas).

Ainda hoje, na Europa, existem 2 histórias que se contam sobre a segunda guerra mundial:

  1. A História onde os USA deram totalmente cabo da máquina de guerra Alemã, e salvaram o mundo da tirania.
  2. A verdadeira História.
Escrevendo nos livros de história e não só, até com a cultura de Hollywood foi-se criando a primeira versão, que, em linhas resumidas, é algo como isto:
  • 1939 - Alemanha invade e conquista Polónia
  • 1940 - Alemanha invade e conquista França e Paises Baixos
  • 1941 - Alemanha invade URSS
  • 1943 - Aliados desembarcam na Sicília.
  • 1944 - Dia D, desembarque na Normandia
  • 1945 - Aliados chegam a Berlim, acabando a guerra na Europa
O Elefante branco no meio disto tudo é este:


A "Frente Leste" é apenas a maior operação militar da história da humanidade. Podemos pegar e somar todos os outros teatros de guerra de 39 a 45, e a frente leste continua a ser maior. 10 milhões de soldados soviéticos mortos (20 vezes as baixas americanas na guerra), onde se adicionam 14 milhões de civis.

Vamos falar de panzers. No total da frente Americana, 5710 blindados aliados destruídos  para 839 alemães (ratio 1:7). Frente Este, 83500 blindados soviéticos destruídos, para 2735 panzer alemães (1:30).

80% das divisões de infantaria alemãs estavam na frente Este. 
As alemães que ocupavam a França em 44, eram os demasiados feridos e cansados para lutar na Frente Este. O estado do exército alemão na Europa era tal debilitado que faltava diesel para o transporte móvel de infantaria, é o que chamamos de "bater no ceguinho". No entanto, temos isto em prime time:


Percebo a ideia, os vencedores escrevem a história, mas nem sequer um nota de rodapé quanto ao esforço Russo é triste. É triste para os 80% de homens russos nascidos em 1923 que não sobreviveram para além de 1945.

Ficamos então com a "cruzada pela liberdade" Ocidental. 




8 comments:

Carlos Ferreira said...

Peres apesar das tuas estatísticas estarem correctas, não te esqueças do que aconteceu em Estalingrado. Debandadas e Debandadas de soldados soviéticos, obrigados sob pena de morte pelos seus comandantes a atirarem-se para a linha de tiro alemã.

Não te esqueças também que o esforço alemão na linha Este foi muito superior porque também o objectivo o era, os campos petrolíferos a Sul da Rússia.

Já para não falar do facto que de Hitler teve que ir salvar o seu querido "papá" Mussolini da "tirania" dos Gregos, o que atrasou consideravelmente a invasão da Rússia, passando a ser feito em pleno Inverno. Depois disso já sabemos o que aconteceu.

Na minha opinião, os aliados não sofreram tantas baixas mais por causa do jogo estratégico e também, por tudo o que aconteceu ao nível de espionagem.
Os Russos sempre tiveram uma abordagem mais "prática" ao assunto.

Carlos Ferreira said...

Ah e não me posso esquecer que o facto dos Aliados terem deixado Berlim para os Russos, foi das melhores coisas que poderiam ter feito. Para quê sacrificar vidas aliadas por causa de um Tirano que se teria suicidado?

Digamos que os soviéticos levaram forte e feio na invasão de Berlim.

Peres said...

Os aliados deixaram Berlim para os soviéticos? Deixaram não, chegaram atrasados.

81 mil baixas sovieticas na batalha de berlin. 11 vezes menos que a batalha de Kursk (vitoria sovietica), 5 vezes menos do que a primeira semana de confronto em 41. A Batalha de Berlin foi um autentico passeio comparando :p


Sintra said...

O Peres tem razao. Os aliados tavam ah rasca porque a Russia ameacava conquistar a Alemanha toda. Os Russos acabaram mesmo por esperar para fazer a invasao de Berlim, porque o Stalin esperava conseguir que os aliados concordassem em NAO dividir a Alemanha, partilhando assim a conquista final. Quando os aliados se demonstraram casmurros, ele finalmente deu a ordem e os Russos tomaram Berlim, finalizando a guerra para grande vergonha dos aliados.

O proprio dia D so aconteceu porque os aliados se aperceberam que a Russia era uma maquina que ia varrer a Alemanha, e se eles nao se pussessem a pau, a Alemanha ficava toda sob jugo sovietico.

Carlos Ferreira said...

Vergonha? Não vejo qualquer mal em poupar vidas... Como o Peres disse através das estatísticas... milhões de baixas do lado soviético e carradas de perdas em material bélico, dando especial atenção à batalha de Kursk cujos soviéticos ganharam à custa de um rácio de baixas de mais 3 para 1.

Não estou bem a ver onde está a glória... quem está morto, morto fica.

Sintra said...

Ninguem falou em gloria. Mas eles sentiram vergonha que os comunistas eram melhores na guerra que eles.

Carlos Ferreira said...

Lá está... viveram para contar a história deles.

Sintra said...

Felizmente que os outros tambem viveram para contar a deles para ilucidar o que realmente aconteceu.