2009-01-21

Assim não dá!

Hoje vou parecer materialista, ou, pelo menos, um sacana de um capitalista. Ás tantas, até é verdade.

A questão é esta: nós andamos aqui, a aturar os devaneios dos professores e a matarmo-nos aos poucos (e, às vezes, aos muitos) a estudar e a cumpriir prazos, não por direito mas por privilégio. Nós pagamos mais de €900 por ano para andarmos nesta vida, caraças, temos, pelo menos, o direito à possibilidade de completarmos um curso. Ora, julgo que é do conhecimento geral que não vamos a lado nenhum sem estudo. Estudemos, portanto.

É, igualmente, do conhecimento geral que certos professores vão tão à frente dos demais mortais (sarcasmo sarcasmo) que só aceitam como certo o conteúdo que eles ensinam, como eles ensinam, conforme vem nos famigerados e erroneamente chamados "acetatos" (erroneamente porque acetaros são ou folhas de plástico transparente ou iões, Saurnil).

Ora eu tenho um exame amanhã. Perguntais-me por que aio não estou eu a estudar? Bem, porque os paspalhos senhores do IEETA estão a coçá-los extremamente ocupados e não lhes apetece não conseguem manter o servidor a funcionar. Por isso é que não consigo saacr os sempre disponíveis acetatos.

Agora vem a parte em que falo candidamente. É agora que se recomenda que se mandem as crianças com menos de 15 anos (ou mais de 65, para esse efeito) para a cama.

Mas que caralho é isto? Eu estou a pagar pelo direito de ler a merda dos acetatos! Exijo que mos dêem (de um maneira ou de outra. Tanto se me dá que mos deixem sacar da net ou que mandem a minha casa uma modelo de lingerie Sueca em topless com os acetatos numa pen. DE 16 GB. Que fica para mim) ou que, se é para prestarem serviços ocasionais e de qualidade dúbia (e aqui podia incluir-se tanta coisa que ia ser preciso um servidor do IEETA inteiro só para armazenar as queixinhas) não me levem coiro e cabelo. Isto, simplesmente, não se admite. Nos países ditos "do terceiro mundo" (não julguem que esta treta de terra, lá porque tem, nalguns sítios, água potável, comida e campos de golfe, não é um pardieiro do terceiro mundo) isto não acontece. Eu até me pergunto por que raio é que há alunos estrangeiros que, ao abrigo do programa Erasmus, vêm para cá. Também tenho alguma pena deles.

A propósito, n´s não conhecemos alguém que trabalha no IEETA? O que é que se passa por lá?

Pax vobiscum atque vale.

2009-01-20

2009-01-06

OpenOffice - Porque sim.

"If you want to kick off 2009 with a fresh new start then take a look at these alternative Office suites that are free.

Microsoft Office is so common that very few computer users are even aware that there are many good, and often free, alternatives to the software. Here are four of the better alternatives. 

OpenOffice.org

This has to be the number one alternative to Microsoft Office. The open source productivity tool includes all of the features offered by MS Office but for free. Version 3.0 of OpenOffice was released earlier this year and it includes full compatibility with documents created in Microsoft Office, the biggest stumbling block to switching to a new office suite. Version 3.0 even includes the ability to open the newer .docx format files created by Office 2007. 

OpenOffice.org includes a presentation tool, word processor, drawing application, spreadsheet among others that can produce documents in both the OpenDocument format as well as most other popular document formats. OpenOffice.org 3.0 can't save files into the .docx format but it can open them."

Copiado daqui.

Todos sabemos que o windows é uma daquelas maleitas que pronto, tem que se usar (nem que seja pra jogar dota/cs como sei que uns certos alguéms gostariam de apontar -_-).

Mas não temos que usar microsoft em tudo. Open office rula. Faz o que faz o office2007, é grátis e não se tem que crackar! E agora já abre aqueles #$%& ficheiros que vêm em formato esquisito do office2007. Odeio docx. Mas mesmo muito.

A minha única resolução deste ano é não voltar a usar microsoft office.

2009-01-04

Anhanço de Ano Novo

Hoje de manhã entretive-me a dizer disparates aos diversos chatbots que polulam por aí. O meu favorito, A.L.I.C.E., respondeu-me de maniera interessante:

Human: marry me
ALICE: Why don't you just download me?
Human: because the butterflies in my stomach screech too loud when old men walk the bridge between grenat and sirloin stake-passion fruit
ALICE: That makes sense to me. Is that a fact.

ALICE: what is your favorite movie .
Human: the unmade Monty Python one
ALICE: Which one is that?
Human: the one in which gold and scorpion walk from nutty to silly-nonny county on a dead horse's back and paint pineapples in a cross-eyed shade of rage
ALICE: I think I know that one.

Human: john cleese looks better than pineapple dipped in cream, but rib-eye stake likes raw onions to the point where aliens chop walls to destile the strawberrys from burnt hair
ALICE: Do you mean your name is John?

ALICE: You've got my full attention. Can I help you?
Human: I don't think so
ALICE: Why do you disagree?
Human: because herring, offered wrapped in string to salmon like a ruby ring on toast, is often so purple that a necklace dipped in chocolate makes golden swirls shoot through the inner walls of a dingo's teeth
ALICE: Interesting explanation. And often so purple that a necklace dipped in chocolate makes golden swirls shoot through the inner walls of a dingo s teeth is herring offered wrapped in string to salmon like a ruby ring on toast.

Pode ser candidato (candidata?) ao prémio Loebner de 2008, mas ainda não está bem no ponto... digo eu!

Pax vobiscum atque vale. E feliz ano novo!