2019-02-07

Write-only devices


Reading time- 10 minutos.

The speed of the world is the speed of the communication
Unsourced (provavelmente misquoted)

Gostaria de, no contexto da frase acima, definir o conceito de atual de mobile devices. Como sabem, mobile devices são dispositivos que têm a capacidade de nos permitir estar constantemente em cima do acontecimento, permitindo ter acesso a informação em realtime.
Podem também permitir acesso a informação sem ser em realtime. Exemplos de informação que não é em realtime:
  • Ler o semanário
  • Ler um livro no Kindle
  • Ler um chat no Facebook em que o tempo de turnaround entre participantes é de > 1h

Os mobile devices de hoje não nos permitem digerir e filtrar a informação. Há sempre mais fotos, mais comentários, mais posts, mais informação fast-food.

Por causa disso, surgiram movimentos que tinham como objectivo reduzir essa velocidade estonteante -- o movimento Slow News.

Tenho em crer que o movimento perdeu o gás, mas as razões pelas quais ele se iniciou mantêm-se. É tudo demasiado rápido.

Volta e meia tento reduzir a quantidade de informação a que estou exposto colocando-me offline, desinstalando apps ou desligando notificações. Invariavelmente desisto e volto a instalar a app.

Assim, em vez de tentar modificar a natureza do telemóvel, tentei modificar o modo de uso. Tento usá-lo mais frequentemente como write-only device.

O write-only device- ou mais corretamente, o uso de telemovel como meio de responder a questões- foca-se em reduzir o consumo passivo de novidades e aumentar o consumo ativo. Ser escravo da maquina VS usar a maquina. É uma experiência interessante e só teve até agora um resultado- voltei a conseguir escrever este post "enorme", porque em vez de me sujeitar as limitações da app do Facebook que torna dificil editar um post ao longo de dias, o fiz no Onenote, ao longo de 3 semanas.

Links Relacionados:



2019-01-30

Querida, atualizei o blog

Atualizei o tema do blog.

Acrescentei também ali em cima um link para a "Shoutbox" do blog, no Discord.

2019-01-13

A razão racional II

Acho que podia ter desenvolvido mais o post da razão racional. Mas acho que se o tivesse alongado mais não o teria publicado. Portanto foi um bom compromisso.

Nesta terra de Facebook e instant gratification, na qual também me identifico, esculpir um post tornou-se uma tarefa que não se justifica. A não ser que se escreva para nos ouvirmos ou por gosto.

2018-12-05

A razão racional

Descobri num blog de programadores a resposta a uma pergunta não formulada: a análise de algo diminui a percepção dela em prol de uma modelação mental sintética.
Passo a citar o artigo
In particular, Mill’s father “never varied in rating intellectual enjoyments above all others… For passionate emotions of all sorts, and for everything which has been said or written in exaltation of them, he professed the greatest contempt.” Thus Mill learned to prize rational thought and analysis over other feelings, as many programmers do—until he discovered the cost of focusing on those alone.
Mill’s first conclusion was that happiness is a side-effect, not a goal you can achieve directly, nor verify directly by rational self-interrogation. Whenever you ask yourself “can I prove that I’m happy?” the self-consciousness involved will make the answer be “no”. Instead of choosing happiness as your goal, you need to focus on some other thing you care about:
Mill’s second conclusion was that logical thought and analysis are not enough on their own. He still believed in the value of “intellectual culture”, but he also aimed to become a more balanced person by “the cultivation of the feelings”. And in particular, he learned the value of “poetry and art as instruments of human culture”.

2018-12-01

O Artigo 13 | O que é e porque nos deve preocupar


Basicamente, ambíguo, responsabiliza plataformas.
Por omissão, deixa as possibilidades extremas [como fechar canais] em aberto.
Solução mais económica de acordo com o artigo 13: bloquear tudo que suscite dúvidas quanto a ser legal ou não, para evitar multas.

Mais pormenores:


2018-11-27

Serviço Público

Quantos neurónios é preciso ter para, se se quiser reduzir o trânsito em Lisboa, é preciso ter transportes públicos decentes?

Será que custa assim tanto corrigir o problema?
Mais autocarros
Mais informação sobre os autocarros em circulação (p. ex., atraso)
Optimização de paragens e horários com via a pré-reserva (quase toda a gente tem telemóvel hoje em dia)
...

A única solução que estou a ver neste momento é a Citymapper chegar cá com 100% da funcionalidade e rápido [em Lisboa não têm as features inteligentes ainda implementadas].