2012-06-26

The Matrix vs Dwarf Fortress

Quase toda a gente conhece "The Matrix", pelo menos o primeiro filme. Seres humanos presos num programa de computador, onde ficou famoso o "ecrâ verde" de código Matrix:


O que muita gente não conhece, é Dwarf Fortress. Uma simulação (de anões a viver na sua montanha) com um interface e gráficos simplesmente dolorosos:


É claro, há quem defenda que o "The Matrix" é simplesmente um "tileset" de Dwarf fortress, ou seja, um pack gráfico como esta imagem demonstra:

Acho bastante plausível. Tanto que, na realidade Dwarf Fortress é muito mais complexo do que a Matrix alguma vez poderia ser. Por debaixo dos gráficos horríveis (embora haja "tilesets" que o tornam jogável) está uma simulação complexa, que torna Dwarf Fortress quase impossível de gerir sem aparecer "fun" aos montes.

Na base do jogo estão os Anões. Os Anões são criaturas simples. Apenas necessitam de comida, bebida, e um local com pouca humidade onde passar a noite. Criam-se umas quintas de cogumelos e cevada para se ter a comida e cerveja, escavam-se umas salas (leia-se, buracos), corta-se madeira para fazer umas camas, e tudo parece simples. Mas é claro, esses quartos ficavam mais giros com uma porta (e vou usar pinho ou carvalho?), talvez até um baú, e isto faz com que o Anão fique mais feliz, e trabalhe melhor (cortar madeira, escavar rocha, fazer cerveja, etc). A felicidade global na tua fortaleza depressa atrai imigrantes, e os anões passam de meia dúzia para dúzia e meia. Até temos depois casalinhos de Anões (e Anõas?), que adoptam cachorinhos e gatinhos...

E tudo aumenta de complexidade. Agora já temos pescadores, limpadores de peixe, talhantes, criadores de gado, 3 tipos de cereais para 6 variedades de cervejas, uma fortaleza com 40 andares, 80 quartos, um sistema complexo de bombas que puxa água do rio para o último andar(Dwarf fortress tem um sistema de movimento e pressão de líquidos bastante próximo do real) , onde montámos um hospital com acesso a água corrente, um esquadrão de 10 anões militares.... ah, a vida é boa.

E é mais ou menos quando tudo está a parecer bom demais que acontece. Por vezes é um clique errado, que faz com que um Anão puxe a alavanca errada (aquela que dizia "puxar apenas se o mundo estiver a acabar") e acabamos por inundar metade da fortaleza, ou então é um acidente de caça, onde o caçador matou por acaso o cão do lenhador, lenhador esse que mata 5 anões num espiral de ira, famílias desses 5 anões que entram em depressão e se recusam a apanhar cereal para fazer cerveja, falta dessa cerveja que faz com o resto da fortaleza entre em guerra civil para ver quem se apodera dos últimos 5 barris de cerveja...

E depois temos também os cercos à fortaleza, armadilhas complexas (placas de pressão, que abrem comportas, que inundam a área de lava, lava esta que quando aquece uma placa de contacto, abre a porta do "jardim zoológico" que tens estado a montar para gerar uma confusão de animais selvagens, lava e invasores), anões megalómanos (que pedem, por exemplo, um quarto enfeitado a ouro e pedras preciosas), espirais de ira, suicídios em massa a muito muito mais!

4 comments:

neca said...

Da série, informação realmente relevante :)

Peres said...

Podes-te considerar mais culto depois de ter lido isto.

Pedro Francisco said...

Ainda hei-de jogar isto. É que parece fácil, deveria bastar pequenas ilhas de cidades, quando uma se passasse fechava-se o acesso :p

Claro que duvido que seja assim tão fácil mas não consigo imaginar o que correria mal com este plano :p

Peres said...

http://artgoblin.pl/df.php

Usa este pack gráfico, sem ele é intragável.