2012-06-29

Grandes Economistas

O défice de Portugal, que este ano não poderia passar de 4,5%, é, no primeiro trimestre do ano, 7,9%.

Recordo que o défice era, em igual período do ano passado de 7,5%.

Isto é, sem palavra melhor no vocabulário Português, uma tragédia. Quer dizer que a austeridade, aumento de impostos (via IRS, quem o paga à mais de 2 anos sabe o agravamento que foi), e corte de subsídios de férias e natal aos funcionários públicos resultou num PIB muito mais baixo do que o aumento de receitas que daí veio. Explico:

Visto que o défice é um índice de dívida em relação ao PIB de um país (Ex: um país gera 100 por ano, e gasta 101, isto é um défice de 1%), este resultado indica que o PIB do país caiu mais em relação ao aumento da receita. Por outras palavras, estamos a sufocar a "galinha dos ovos de ouro", na esperança de enriquecermos.


Na minha opinião, o próximo passo do governo será retirar (por via de imposto extra) o subsídio de natal no sector privado. Isto claro, vai gerar uma série de problemas, pois muita gente recebe os subsídios como duodécimos ao longo do ano, e não vai ter um salário extra para pagar em Dezembro...

A ver o que acontece...

2 comments:

Carlos said...

Lol, acontece que começas a ver a mão de obra em Portugal que realmente produz algo, mais própriamente na área de serviços, a meter-se a milhas.
Neste momento, não há mais impostos para introduzir. Já passamos o topo da curva, qualquer novo imposto, reduz e destroí o que resta da economia. Game Over my dear friends... a partir daqui, só Fascismo.

Diogo Resende said...

A área de serviços serve, não produz.