2008-05-11

Agora opino eu

Pois hoje lembrei-me de ver "Os Contemporâneos", na RTP 1, já que acho piada ao Nuno Markl e ao Bruno Nogueira e a Maria Rueff lembra-me alguém, nunca sei quem ao certo, a ver se me lembro. Como não sabia a hora (curiosamente, continuo a não saber), só sabia que é depois d' "As Escolhas de Marcelo", fui deitando o olho ao canal 1 de vez em quando, e fui apanhando partes do discurso do Marcelo.

Se estão à espera que me pronuncie acerca do que esse senhor disse, desenganem-se, se me lembro de duas palavras foi porque ele disse "Barack" e "Hillary", julgo que falando das primárias, lá do outro lado do Mar. Vamos antes falar de outra coisa.

Acho bem que o programa parta do pressuposto de que se trata de um artigo de opinião. Tudo bem, opiniões é bom, é uma coisa gira, eu mesmo tenho uma data delas. Vendo-as a bom preço. Agora expliquem-me isto:

Como a maor parte dos leitores hebituais e conhecidos vive em Aveiro, imaginem que vos dá a fome e decidem ir ali ao Glicínias ver o que há para o jantar. Vão na vossa, pela Rua Mário Sacramento acima, a pensar no DOTA que hão de jogar quando chegarem a casa, quando um completo estranho vos interpela e declara:

"A forma ideal de beleza feminina consiste num espécimen ruivo, com exactamente cento e setenta e sete centímetros de altura, cabelos não mais compridos que o meio das costas, peito avultado, ancas largas e redondas e cintura de vespa. Deve envergar sempre fato de saia e casaco azul marinho com uma única risca branca."

Quanto a vós não sei, mas eu, provavelmente, diria "Você ia dar-se bem na minha terra. Ruivas não, mas malucos há em quantidade.", e isto não é a minha opinião.

Posto isto, por muito que preze as opiniões das pessoas que conheço e respeito (atenção ao "e", como em intersecção, não conjugação), a minha postura geral em relação às opiniões dos estranhos é de que, quando as quiser, eu mesmo lhas dou (conforme julgo já ter dito aqui algures). Então porque raio é que o Estado Português paga a um estranho (convenhamos que, a não ser que ele conheça, pessoalmente, pelo menos metade da população residente em Portugal mais metade da população dos países onde a RTP Internacional, África, Madeira, Açores e demais ramos da RTP passa o programa, ele é um estranho para a maioria) para despejar a sua opinião em prime-time? Alguém me sabe dizer se isto acontece nos países civilizados? Isto acontece na Austrália, por exemplo? É que se não, às tantas devíamos ir para lá... a não ser que prefiram que os vossos impostos e as vossas propinas e vinte-e-um-porcento do que pagam por qualquer agulha vão para os bolsos de um emproado qualquer que não tem que fazer mais que tirar o relógio (ele ainda faz isso? É que nem reparei) e dizer qualquer barbaridade que lhe venha à cabeça durante seja lá quanto tempo for que o programa demora.

Quando não, alguém quer pagar pelo meu blog? Está cheio de opiniões...

Pax vobiscum atque vale.

6 comments:

Pedro Francisco said...

Não vi o dito cujo. A quantidade de televisão que vejo actualmente é mínima.

Mas é normal que um opinador tenha o seu espaço na televisão. Afinal, as pessoas não têm tempo para ter informação e opinião própria formada pelos meios normais: diga-se, adquirir informação e posteriormente debater.

Actualmente, a maior parte da informação/opinião virá de terceiros, e o critério de selecção será se aprovamos o carácter da pessoa que nos transmite a sua opinião.

Se sim a sua opinião juntar-se-á à nossa e passá-la-emos a defender como quem defende o clube de futebol (e tenho mais umas quantas coisas a dizer quanto aos clubes de futebol e as guerras que estes geram, mas esperarei que dês o pontapé de saída com um post sobre o assunto). Até alguém cuja personalidade aprovemos nos transmita a sua opinião, repetindo-se o processo do início.

Se não gostarmos da pessoa, certamente será por uma questão de personalidades conflituosas entre si: certamente acharemos uma falha no argumento da pessoa, uma base de raciocínio que não gostamos, e continuaremos a defender com unhas e dentes a nossa opinião.

Sim, eu cada vez mais acho o Dr. House o maior filósofo de todos os tempos.

ArabianShark said...

Então e achas que precisamos de ter uma opinião acerca dos assuntos para os quais não temos nem tempo para formar uma opinião própria?

E aceitar ou rejeitar uma opinião face à ausência de uma opinião própria baseado no carácter de uma pessoa... isso pode dar aso a uma data de coisas estranhas. Vê o caso dos Bóer: o seu líder, pelo que vi num documentário, parece-me ser uma pessoa de excelente carácter, alguém de quem eu podia ser amigo, e a filosofia bóer assenta tanto em pressupostos ou valores que eu defendo como valores aos quais me oponho. Ainda que não tivesse opinião acerca de religião ou racismo, não ia defender a postura dele.

Saurnil said...

Bem, só sei que concordo com 1 coisa: Dr. House é grande filósofo!

Sei tb que quando não tenho tempo para me informar acerca de certos assuntos, confio (até certo ponto) na informação/opinião de certas pessoas.

Não parece muito boa ideia confiar na opinião de certas pessoas, mas quando não temos tempo para nos informar ou capacidade para formar uma opinião, aceitamos a de quem nos convém.

Sintra said...

Primeiro que tudo, eu considero todos os políticos uma cambada de aldrabões, ordinários, chupistas, etc, etc.
Esse gajo não escapa. Já foi político ainda que agora seja "comentador político".

"a pensar no DOTA que hão de jogar quando chegarem a casa"
TU
NÃO
JOGAS
DOTA!
Mas ao menos conseguiste me "meter nos teus pés". ;)

"A forma ideal de beleza feminina consiste num espécimen ruivo, com exactamente cento e setenta e sete centímetros de altura, cabelos não mais compridos que o meio das costas, peito avultado, ancas largas e redondas e cintura de vespa. Deve envergar sempre fato de saia e casaco azul marinho com uma única risca branca."
Estas foram as palavras dele? Epa, não digo que não... xD
Mas as espécimenes ruivas raramente são dotadas de grande beleza. Tudo isto para dizer que não curto muito de sardas...

Voltando ao assunto em questão, eu geralmente ignoro opiniões alheias. Esse senhor por exemplo, nunca disse nada que registasse. Faz-me lembrar o boneco do mimmimimimimimmimimi. Abre a boca e faz barulho.
Para além de esse senhor estar sempre enganado, como demonstrado pelos Fedor que Mia. (c wut i did thar?)

"Então e achas que precisamos de ter uma opinião acerca dos assuntos para os quais não temos nem tempo para formar uma opinião própria?"
Eu acho que não. Gosto muito da frase: "não tenho opinião acerca do assunto em causa." Para quê falar acerca de algo de que nada se sabe? Mais vale ficar calado. Ou fazer como o Goucha e dizer que o futebol já foi mais tecnicista. (ou qq coisa assim)

E o Dr.House está sempre certo, mesmo quando se engana.

P.S.: Bom post, já fazia falta algo que nos desse que escrever.

ArabianShark said...

Ieeii!! O sintra disse que o post era (e cito) "bom"!

Saurnil said...

Não admira que as ruivas não sejam assim tão boas... descendem do Chuck Norris! http://desciclo.pedia.ws/wiki/Ruiva

Ainda diria que a Lindsay Lohan podia ser exceção (deixo ficar esta palavra assim? Merda para as novas regras, fdx!), mas ela não tem côr de cabelo definitiva... Nem é assim tão gira. "Cute", mas problemática, deve ser chata pra caraças. Mesmo assim não deve ser mais irritante que a Fran Drescher http://www.youtube.com/watch?v=vF9PDkbs_Sc&feature=related