2013-04-30

Autoavaliação no estado

A secretária de estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque, diz que as operações de swap feitas pela refer entre 2001 e 2007 "foram sempre inteiramente adequadas e transparentes".



Ou seja, limpas. Efectuadas por pessoas do melhor calibre e competência. Sem sujidade. De acordo com todo os procedimentos correctos. Para esclarecer bem a coisa inclusive  o próprio IGCP, que faz a gestão da dívida pública, chega à conclusão que estas operações não são consideradas "tóxicas", mas apenas "exóticas". Fantástico malta.

Detalhes?
Vejamos...
Maria Luís Albuquerque, directora financeira da refer entre 2001 e 2007.
A refer contratou swaps enquanto Maria Luís Albuquerque era sua directora financeira.
Maria Luís Albuquerque é nomeada secretária de estado e chefia o IGCP.
O IGCP, sob tutela de , ora, Maria Luís Albuquerque, define o que são swaps tóxicos.
O mesmo IGCP, diz que os swaps da refer são "exóticos", mas não tóxicos, gerando apenas 40 milhões de euros em prejuizo.
Maria Luís Albuquerque continua secretária de estado, e eu continuo a pagar a dívida da refer.


1 comment:

Pedro Francisco said...

Sugestões para resolver o problema sem partir para a violência?

Link para a notícia