2012-11-16

Skyfall






Não sei se já viram o novo Skyfall - eu pessoalmente não vi - mas, aparentemente, um Aston Martin DB5 que lá aparece é uma réplica criada através de uma impressora 3D de grande escala.

Passo a citar:

“Propshop commissioned us to build three plastic models of the Aston Martin DB5,” voxeljet CEO Dr. Ingo Ederer, said.

“We could have easily printed the legendary sports car in one piece at a scale of 1:3 using our high-end VX4000 printer, which can build moulds and models in dimensions of up to eight cubic metres,” Ederer said.

But the British model builders were pursuing a different approach.

“To ensure that the Aston Martin was as true to detail as possible, and for the purpose of integrating numerous functions into the film models, they decided on an assembly consisting of a total of 18 individual components,” Ederer said.


“The entire body is based on a steel frame, almost identical to how vehicles were assembled in the past. In addition to the automotive industry, foundries, designers and artists, the film industry represents an entirely new customer base for voxeljet.


Podem ver mais fotos aqui.


Para além disto, as reviews têm sido bastante boas... alguém o viu?
Opiniões?

4 comments:

Carlos Ferreira said...

Eu já vi e gostei. Um pouco sentimental talvez, mas gostei da aproximação. Fez-me também pensar um pouco na realidade actual e como a tecnologia mudou efectivamente a forma de agir das diversas agências de espionagem.
Gostei do toque do Aston Martin DB5 do antigo 007 - Goldfinger e dos comentários trocados entre os ocupantes do carro (não digo mais nada para evitar spoilers) :P

Enfim... é um filme a não perder :)

ArabianShark said...

Francamente, estava convencidíssimo de que, para além do DB5, havia de haver um Vanquish, já que saiu há pouco tempo (o novo, não o de 2004 que figura no "Die Another Day"). O carro não recebe o ênfase que outros carros do Bond têm recebido noutros filmes ("Goldfinger", por exemplo), mas, mesmo assim, faz tudo o que lhe compete.

O Bond propriamente dito também cumpre com todos os requisitos. Direi que é um filme que entretem, sem ser uma daquelas obras primas do cinema, que, geralmente, vêm carregadas de um tom pesadíssimo (e.g., Dr. Strangelove), mas mas também sem grandes falhas que façam o espectador querer sair da sala (apesar de um ou outro momento que nos fazem franzir uma sobrancelha e pensar "então, mas algum dia..?").

As cenas de acção, que, muitas vezes, são um ponto forte do Bond, estão comme il faut (já não ouço esta expressão há anos...), no mesmo estilo ousado dos dois últimos Bonds, mas sem nenhum exagero como um camião a sacar cavalo.

No compto global, é um filme que chega até a ser divertido, apesar de certas cenas sérias, mas muito raramente tão sérias que chegam a ser sombrias.

Acerca do BD5, deixo aqui esta história que me contou o Richard Hammond:

O primeiro carro do Bond nunca foi um Aston Martin. Nos livros, começou por ser um Bentley, e só mais tarde passou a ser um Aston, e, na altura, um DB3. No primeiro filme (Dr. No), era um Sunbeam Alpine, e só no terceiro filme (Goldfinger, 1964) é que passou a ser o DB5 que todos conhecemos. Ora, os produtores do filme queriam que a Aston Martin lhes desse ou, pelo menos, emprestasse o carro, mas eles recusaram, oferecendo-se, ao invés, para lhes vender um DB5 ao mesmo preço que para toda a gente - na altura, £4.500. A esta altura, os produtores quase desistiram da ideia e pensaram antes em dar ao Bond um Jaguar E-Type (aqui entre nós, também não seria nada má escolha, desde que se conseguissem entender com o alternador). Mas, em vez disso, tanto insistiram junto da Aston Martin que, finalmente, lá conseguiram um protótipo em segunda mão - pouparam quase cinco mil libras - que puderam artilhar com metralhadoras, lançador de fumo, lâminas anti-pneus nas rodas, GPS (anos antes de se falar em tal coisa) e assento ejectável - um processo que lhes custou £25.000 (e o lança-fumo era um homem pequenino na mala, com uma granada de fumo e um furinho na carroçaria. O pobre do indivíduo ia sufocando com o fumo que não saiu do carro).

Pedro Francisco said...

Vim agora de ver o filme. Para um bilhete de €6 não vale a pena. Para um bilhete de €4 já vale.

Sintra said...

Quero ve-lo esta semana.