2012-01-11

Doutora Morte, o guia



Entrevistadora:Não acha abominável que se discuta se algúem com 70 anos tem direito à hemodiálise ou não?

M.F.L: Tem sempre direito se pagar

M.F.L: Tratamentos desse estilo, evidentemente que existem e que as pessoas poderão ter acesso a eles desde que paguem.

Para quem não sabe, hemodiálise é a remoção de líquido e substâncias tóxicas do sangue como se fosse um rim artificiam, e o custo no privado é, segundo um estudo de 2011, cerca de 62 euros por sessão. A frequência média de tratamentos de hemodiálise é de 3 vezes por semana, ficando, por mês, em cerca de 1000 euros.

9 comments:

Jun Pyh Kyll'eM Allh Ohn Sight said...

A entrevistadora é que a convidou e chamou de "Senadora" de Portugal... Mas voltando ao tema, ela sempre defendeu a tese do "utilizador-pagador". Eu até posso concordar com essa premissa se deixar de pagar para o que não uso. No limite, porque haverão os homens de contribuir com impostos para as consultas de ginecologia? Em Portugal pagamos para o "bem comum" e quando vamos aos serviços públicos pagamos outra vez!

Sintra said...

Ui, quase que cheirou aos USA!!! 'MURICAH, FUCK YEAH! Onde se tiveres guito a vida eh impecavel, mas se nao o tiveres e ficares doente, vais morrer.
Fogo, tao feliz de viver no Canada, um dos paises mais socialistas do mundo e com uma qualidade de vida bem acima da media (top5 do mundo sem problemas).

Also, novo sistema de comentarios?

ArabianShark said...

Sabe Deus que não quero ser advogdo do Diabo (see what I did there?), mas há aqui questões que têm de ser postas:

1. A pergunta "Não acha abominável que se discuta se algúem com 70 anos tem direito à hemodiálise ou não?" é, para pedir emprestada a expressão a um certo figurão da comunicação social aqui há uns anos, mentirosa, ou, como soi chamar-se a estas perguntas, composta, o que a torna um bocado trucolenta. A questão é a de o utente ter 70 anos ou ter (ou não) direito à hemodiálise? Caso a primeira, por que há de um utente de 70 anos ter mais ou menos direito à hemodiálise que um utente de 20 anos? Caso a primeira, faria diferença se, em vez de hemodiálise estivéssemos a falar, por exemplo, de TACs, que, ao que entendo, também não são nada baratas? E antes que comecem a desbobinar argumentos para qualquer uma ou ambas as questões (eu também já me lembrei de alguns e de certeza que há muitos mais), nenhuma das questões é realmente relevante, logo, a pergunta composta, para além de mentirosa também é irrelevante.

2. Jun (não vou escrever Jumpy Kill'em All on Sight de maneiras estranhas, é escusado, mas aprecio o trocadilho), a ideia de deixar de pagar o que não se usa, nestes termos, tem mais que aso para se tornar perigosa. Não é nada de que a humanidade não já se tenha lembrado, particularmente a Ayn Rand, que escreveu uma carta de amor com coisa de 1000 páginas a essa ideia, a que chamou de objectivismo. À primeira vista, sim senhor, faz muito sentido que os homens não paguem pelos serviços dos ginecologistas e que quem tem uma dentadura de ferro não pague pelos serviços dos dentistas, mas que quem parte pernas pague aos ortopedistas e que quem não tem rins que trabalhem pague pela hemodiálise. A implicação disto é que, sem que se possa assumir que toda a gente paga por todos os serviços públicos, ou deixa de haver serviços públicos ou, de cada vez que há aso à intervenção se averigue se há ou não direito à prestação dos serviços públicos, ou seja, se o indivíduo pagou. É aqui que moram situações como um camião dos bombeiros a ignorar o fogo que consome um orfanário que não paga aos bombeiros porque não espera achar-se a arder, mas à espera que o fogo alastre aos prédios vizinhos para o combater, se esses prédios tiverem pago. Justo? Não digo que não, mas...

3. ... temos que prestar atenção à questão de quem pagaria de todo o gosto, se pudesse. Se o velhinho de 70 anos em questão puder pagar e tiver as contas todas em dia (ora aí está uma questão que, digo eu, é mais relevante que a idade ou o tratamento necessário), escuso de dizer que tem direito à hemodiálise, que já a Dr.ª Manuela Ferreira Leite disse por mim, e, se não tiver as contas em dia, conforme a Dr.ª terá implicado, não. Mas e se não puder pagar? De acordo com a ideia de que toda a gente que pode paga, independentemente de ter rins, dentes, pernas partidas ou vaginas (máximo de uma por utente, proponho), é de esperar que o velhinho tenha direito aos tratamentos necessários, uma vez que o incumprimento, se quiserem, por parte dele advém de força maior (no caso, não poder pagar, o que, por si só, não é exactamente trivial; é preciso chegar-se a essa conclusão mediante uma série de critérios que, certamente, não hei de ser eu a estipular).

Portanto parece-vos, de certeza, a esta altura, que eu defendo que os homens paguem aos ginecologistas. De acordo, mas se e só se, quando tiverem que ir ao urologista, não os mandarem pagar outra vez. E isto, compreendam, tem que se estender para além do sistema de saúde. Algum dia deram por vós trancados fora de casa sem chave e a terem que recorrer aos bombeiros? pagai os impostos que quiserdes que os senhores do camião vermelho vos hão de cobrar couro e cabelo por esticar um escadote até à vossa janela na mesma (já me aconteceu a mim e já vi acontecer a mais gente).

Portanto, e em conclusão, Katherine Heigl.

ArabianShark said...

Sintra, sem querer falar mal do Canadá, até porque não só é um desses países contra o qual não tenho nada (antes pelo contrário) e até tenho um grande amigo a trabalhar lá, ouvi dizer (ao Jeremy Clarkson, caso seja relevante) que, apesar de estar tudo incluído e tudo pago à partida, sem mais custos para o utilizador, que o sistema de saúde Canadiano deixa muito a desejar, sobretudo no que toca aos funcionários. Que tens a dizer (espero sinceramente que seja "não sei, ainda não precisei deles", e não é para não ficar mal visto).

Sintra said...

O Peres uma vez conseguiu trancar-nos fora de casa. Os bombeiros queriam dinheiro para encostar uma escada e entrar pela janela. A policia chegou la e com um cartao de debito ou credito abriu a porta ah pala.

Sintra said...

Nao tenho queixas. Todos os anos tenho direito a um checkup completo, e vou ao dentista 2 vezes ao ano. A ida ao medico sai-me a custo zero, com todas as analises que isso implica. No entanto, certas receitas e medicamentos tenho que pagar. Quando vou ao dentista pagam-me 90% do servico. Nao preciso de oculos, mas dao-me 500 dollars ou que eh para ir ao oftalmologista arranjar oculos.
Raramente espero mais de 10 mins quando chego ao hospital ou clinica, e os funcionarios sao simpaticos e tratam-me com respeito.

Pedro F. said...

OMG threaded comments :-O

ArabianShark said...

Antes assim...

Peres said...

Sintra, não foi nada um cartao de debito, foi o meu cartão de cliente da Staples! Ainda hoje não pedi um de volta, mas valeu a pena