2006-05-27

Futura discussão, e nomeação do Mr.T!!!

Bem, tive a ler posts passados, e realmente, na era anterior à minha vinda, o pessoal estava todo empolgado e havia tanto post e comment que metia nojo.
Portanto deduzo que o verão e mais propriamente as férias têm um efeito revitalisador nas almas dos nossos bloggers conterrâneos (porque enfim, infelizmente somos todos de Portugal).
Logicamente mal posso pela chegada do verão... e não, não é pelo bem do blog, é antes pelas férias e daquele óptimo sem nada pra fazer e sem nada pra chatear (nomeadamente exames e o meu pai... "estuda calão, estuda"). É claro que a ressureição (porra, pensava que havia um sinómio semelhante a "rejuvenation", mas acho que ando no mundo de warcraft há demasiado tempo) do blog também pode ser um bónus, mas francamente, isso não me incomoda agora.

Quanto a nostalgias, é de reparar que o obnibolongo é (e foi, e de certo será) o maior spammer e poster deste blog.
Em honra à sua pessoa, gostaria de aproveitar o momento para o presentear com o pomposo título de "Sir Spamalot".

OK, passou uma ideia pela minha cabeça e de início achava-a interessante, mas com o aflorar das paixões (e não, não é amor seus lamechas) das pessoas em relação a esse tópico, achei prudente perguntar primeiro o que acham.
Recentemente li numa revista um artigo muito interessante acerca do código da vinci.
Tive também a falar sobre isso com o meu pai e fiquei então com vontade de discutir convosco.
Mas antes de mais, eu queria informação da vossa parte, por isso, se estão interessados em falar sobre este assunto, respondam às seguintes questões:
1 - O que é o Código DaVinci para ti (tentem resumir em 2 parágrafos...)?
2 - Acreditas no exposto pelo livro/filme?
3 - Achas-te capaz de aceitar opiniões de outros e sinceramente pensar acerca delas sem pressupor que a outra pessoa está errada?

Não me lembrando de mais nada, fico por aqui. Se acharem que vale a pena perguntar mais alguma coisa, força aí.

8 comments:

Sintra said...

Para dar o exemplo (o qual não têm que seguir, estritamente ou não), vou responder às perguntas.

Para já, devo informar que só vi o filme, mas acho que isso chegou bem para ter uma ideia do que se passa.
1 - É algo entre policial e resolução de enigmas. Uma obra de ficção engraçada.
2 - Basta ver a utilização da palavra ficção para se aperceberem que não acredito no exposto.
3 - Eu vou tentar.

obnibolongo said...

Sir Spamalot...
Digo ja' que curti :D

1-Entretenimento com informações engraçadas. Pronto, nem tudo é verdade. Mas é giro ver a Igreja Católica e a Opus Dei todas aflitas :D
2-Na parte da existência de Maria Madalena sim; se teve um filho ou não é-me indiferente. A verdade é que a Igreja tem a mania de se meter onde não é chamada. A Igreja-na minha opinião-tem de apresentar uma filosofia de vida, não uma série de comportamentos rígidos que não se adaptam à evolução da sociedade. Se Jesus casou ou não não é da conta dela.
3-Sou; tento considerar sempre todos os pontos de vista antes de formular uma opinião/decisão; consequência de uma autoconfiança de merda...

Sintra said...

lol autoconfiança lol
Entre nós os dois já dá pra falar alguma coisa.
Tou à espera de mais respostas... Porque se não houver mais interessados, ou se as pessoas levarem isto muito a peito é melhor não se realizar a discussão!

Peres said...

too long, didnt read, gg though
:p neh, li tudo sim senhor. Aviso já que história é um passatempo meu, e é bom ver o ob...ob...obiquelo a postar de novo.

Quando ao código tenho pena em dizer que não tem fundamento histórico, embora o tema, claro, meta as pessoas a falar. O livro (e o filme) tem como base conceitos falsos, e até um documento falsificado, passo a explicar.

Priorado do sião no filme: Nesta história, é a organização derivada dos antigos templarios, originária de 1099, protectora do graal.

Priorado do sião: Formado em 1956 por Pierre Plantard e um grupo de amigos com a função da renovação espiritual cristã. Pierre queria recriar uma monarquia tradicional, apresentando-se a ele mesmo como herdeiro merovíngio (dinastia monárquica francesa), chegando ao ponto de, falsificar documentos e colocá-los na biblioteca de Paris, tentando dar uma ligação divina á dinastia merovíngia.

Da'vinci, sir Isac newton, Victor hugo, e outros, denominados no filme e livre como possiveis grão mestres do priorado, obviamente, nunca o foram, pois tal grupo foi formado no séc.XX. Dan brown baseou-se em documentos encontrados na biblioteca de paris em 1967, conhecidos como "Dossiês Secretos" (ver acima, priorado do sião), mas estes são, infelizmente, falsificações.

A "Ultima ceia" de da'vinci. Apesar de todos os detalhes curiosos, é de lembrar que é um pintura feita 1500 anos depois de Cristo. Apesar de dotado, Leonardo não era clarividente, nem religioso, facto até que o levou a pintar várias obras de escárnio para com a igreja, tal como a madona dos rochedos, em que uma virgem Maria estendia a mão contra um João Batista.

Agora, documentos como os evangelhos gnósticos (evangelho segundo Madalena, Tomé, Judas), esses sim, são estudados como documentos históricos e mesmo nestes nenhum aponta para qualquer relação entre Jesus e Madalena.

Pois, lá se foi o resumo em dois parágrafos.

Por fim, e como conclusão minha (e resposta ao Sir Spamalot), é um livro, (1) um policial de ficção, (2)sem base e sem fundamentos para ser mais que isso, (3)embora seja sempre saudável por em questão aquilo que temos como adquirido.

Sintra said...

o_O

Xi patrão... rendi agora com o Peres!
Calma homem! Se desenvolves isso tudo ficamos sem nada pra falar!
Mas, pronto sim senhor, mais uma presença constante com ponto de vista objectivo para este nosso blog!

Tenho que chatear o Telmo pra dizer qq coisa!

Saurnil said...

Em primeiríssimo lugar, gostava de mostrar o meu agrado com a nomeação do nosso caro Sir Spamalot. É um título louvável.

(antes de ler o comentário do Peres)

1- É um livro de ficção, em que um autor brinca com factos e suposições. Escrito para quem não gosta de ler embora não intencionalmente), mas consegue prender quase todo o leitor.

Foi boa ideia escrever este livro, quando o autor o escreveu sabia que muito provavelmente ia ter algum sucesso, e conseguir vender todos os livros não vendidos por falta de reconhecimento.

É também (infelizmente) um filme. Todas as pobres almas que não tîveram tempo ou paciência para ler o livro, irão ver o filme. O mais puro filme comercial. Quando vi o filme sentia-me a ver o Harry Potter. Pura colagem de cenas, em que tudo é previsível ou explicado nos momentos errados.

2-Quanto maior o Poder, maior a facilidade em poder escrever os factos como melhor lhe convém, e a Igreja tem Poder, e pode tê-lo usado. (Se o Eixo tivesse ganho a 2ª Guerra Mundial, p.ex, os manuais escolares de História poderiam ser muito diferentes).

Jesus, de acordo com a imagem que temos d'Ele, tinha os dons de amar e perdoar incondicionalmente. Não me espantaria que Jesus tivesse feito 'amor' com Maria Madalena e tivesse tido uma 'ninhada'. Da Vinci tinha muita 'profissão', e acho que não gostava de muitas das convenções da sociedade, e pode muitas vezes ter tentado criticá-la dissimuladamente na sua arte.

Quanto à questão do Santo Graal... não acredito. estou convencido que é ficção, e tenho alguma curiosidade em saber a verdade, mas não acho que vá ter um papel importante na vida de nenhum de nós.

3- Sempre fiz os possíveis. Às vezes saio prejudicado, por ficar confuso :-P

(depois de ler o comentário do Peres)

Obrigado Peres, pela lição de História, gostava de ouvir mais em breve.

Peço desculpa, Sir Spamalot, por qualquer concorrência ao teu mui nobre título.

Anonymous said...

Antes de mais pergunto o que é a verdade e quem sabe o que ela encerra? Haverá muitas verdades?
Quando obetivermos as respostas então podemos falar dela. Sabemos que as religiões nomeadamente a católica cometeu atrocidades várias para não perder a sua hegemonia. Quem nos garante que os textos bibícos e o próprio NOVO TESTAMENTO não foi alterado e quantos evangelhos não foram parar à fogueira? E as(os)mediuns perseguidos como santa Ana D'Arc e outros que defendiam outras verdades. Por isso penso, porque não um Cristo homem amar uma mulher Maria Madalena e fazer-lhe uma filharada? Obteremos um dia uma resposta para todas estas questões. Sou aníbal Cruz e agradeço esta oportunidade.

Peres said...

Aníbal Cruz, obrigado pelo comentário e gostaria de contra-argumentar.

O relato e registo da história é muita das vezes deturpado, no caso de uma guerra, pelo vencedor, no caso da religião, pela religião dominante a que os registos referem.

Os textos bíblicos e o novo testamento são fontes que dificilmente podem ser questionados. Falo é claro, da originalidade do conteúdo, e não da verdade/divindade dos mesmos.

Os textos bíblicos foram traduzidos, e até em cada nova edição se alteram verbos, se moderniza a linguagem, mas o facto principal é que, grande parte dos livros do novo testamento têm uma origem comum.

Não falo já dos originais em aramaico, perdidos no tempo, mas sim das "Escrituras gregas", que nós conhecemos como "Novo testamento". Foram vários escribas gregos, que, depois de 45DC traduziram os escritos originais para grego.

Mas estes eram escritos dispersos, colecções de registos desordenados, e foram precisos vários séculos para os juntar num formato para nós hoje conhecido. Logo, mesmo querendo, nenhuma religião ou facção poderia "falsificar" conteúdos, talvez "controlar" o que aparece e não aparece, mas não falsificar.

Não falo da veracidade do que lá está escrito, mas pelo menos, tanto quanto a arte dos tradutores gregos do século I, o conteúdo será o mais próximo possível do que os seus autores desejavam.

Quanto à segunda parte do seu post. Joana D'arc é algo fascinante realmente, mas creio que se pode retirar a mística em torno dela. Creio que, tendo nascido num corpo de homem, teria tido o mesmo sucesso, embora um fim diferente. Joana D'arc, acima de tudo, liderou homens em batalha, e os seus milagres estão á volta de vitórias militares, tudo o mais era mística de uma época altamente religiosa. E quando se alia um bom génio militar, com fervor religioso, temos uma força fenomenal. Veja por favor a vida de Salah ad-din, conhecido por nós aqui como Saladino, e até a Joana D'arc parece modesta nos feitos. E não são assim tão diferentes, ambos dizem lutar pelo seu Deus, mais, são ambos o punho do seu Deus.

Temos também o caso de fervor religioso sem as mentes militares brilhantes por detrás, o relato (duvidoso é claro, historiadores da época eram conhecidos pelos seus exageros), do lenho de Cristo na frente de uma das cruzadas, levou tanto templários como camponeses para uma rápida derrota e queima do mesmo lenho por tropas sarracenas.

Ufa. peço desculpa pelo desvio, isto tudo para dizer que Joana D'arc foi como muitas mulheres na sua época, perseguida por ser mulher, e se é considerada mística por ter morrido na lareira, então as 60.000 mulheres que morreram na fogueira durante a inquisição(hà quem diga centenas de milhar!) também mereceriam o título.

Por último, a verdade, se temos registos que apontam para um Cristo solteiro, e não temos NENHUM registo que aponte para uma Cristo casado, ou com filhos, ou sequer uma metáfora num pergaminho obscuro do mar morto para que ele pudesse eventualmente ter tido um "flirt" com alguém, então, e até prova de contrário, a verdade estará mais perto do que está documentado nos velhos livros traduzidos pelos escribas gregos do século I.