2014-02-05

Os Homens são de Marte, e de Denisova

Fartei-me de ler artigos hoje sobre isto, e decidi partilhar o que li, de tão fascinante me pareceu.

Comecemos pelo início.
Bem, pelo início será dificil, mas será algo como isto.

Primata evolui para hominidio em Africa.
Hominidio espalha-se pelo mundo.
Hominidio africano ganha vantagens que o levam a salientar em relação ao resto, e é chamado (hoje) de Sapiens.

A parte engraçada começa agora.
O nosso magrinho Sapiens sai de Africa e encontra o corpulento Neandertal. Por sorte(para nós), o cruzamento entre as duas espécies gera Sapiens, o que permite continuação da linha Sapiens. Embora haja registos de "canibalismo" e muitos ossos partidos quando as duas espécias se encontravam, pensamos que o cruzamento tenha sido extremamente positivo para o lado Sapiens.



A história podia ficar por aqui, mas Alexander Tsybankov, que estava a procurar por vestígios de neandertal numa caverna nos confins da rússia, descobre, esperem, "o fóssil com especto mais banal" que alguma vez tinha visto. O resto da ponta de um dedo mindinho.

I kid ou not, a ponta de um dedo mindinho apenas.
Como a caverna já era conhecida pelos fósseis neandertais com 30 a 50 mil anos de idade. achou o achado normal.



Mais tarde, o ADN do fóssil é analisado em Leipzig.
E voltado a analisar.
E voltado novamente a analisar.
E isto durou por 3 anos, porque a equipa não acreditava no que estava a ver.
O ADN era humano, mas não era Sapiens, nem Neandertal, mas sim "algo" mais. Ou algo diferente pelo meno, algo nunca antes visto.

Chamaram-lhe de homem de Denisova (o nome da caverna onde foi encontrado) e o nome pegou, mas demasiado tarde descobrem o erro. Não tinha cromossoma Y. Era uma rapariga, uma menina para dizer a verdade, que não chegou aos 8 anos de idades. Sabem que tinha cabelo, pele, e olhos escuros, mas mais nada podem dizer sobre os seus hábitos ou aspecto.



Com o ADN do homem de Denisova, a equipa alemã (que foi a primeira a mapear ADN neandertal) lembrou-se então de comparar os 3 ADNS (sapiens, neanderthal e denisoviano).

Aqui fica interesante.
Tal e qual como quando se faz uma triangulação (que não é possível com 2 pontos, mas com 3 já se consegue) o novo genoma veio abrir novas portas à imagem dos nossos antepassados.

O europeu comum possui cerca de 2.5% de genoma neanderthal, no entanto, 0% de genoma Denisoviano. Russos então? (onde a caverna se situa) 0%
China? 0%
Americas? 0%
Genes Denisovianos apenas foram encontrados em aborigenes australianos (5%), e populações nativas da Papua, e Filipinhas.



Mais intrigante ainda. Pegaram no nosso genoma tipicamente Europeu. Identificaram as parte vindas de Sapiens. Sabem também o que vem de Neanderthal. E sabem agora o que não vem de Denisoviano. E ficam com 2% livre. Existe, algures numa caverna por aí, um fóssil de um humanóide ainda desconhecido que faz parte da nossa herança genética.

Para terminar, e continuando com esta onda de eurocentrismo, mapearam muito recentemente o genoma de um caçador recolector Espanhol de há 7000 anos. Os resultados são, no mínimo, não o esperado:



Olhos azuis.
Pele escura.
Os mesmos genes de imunidade a doenças, resistência a bactérias e imunidade a muitas doenças musculares que temos hoje. Este antepassado muito próximo já tinha os genes de sistema imunitário que temos hoje, mas um aspecto muito diferente do Europeu actual.


Leiam mais aqui:
http://ngm.nationalgeographic.com/2013/07/125-missing-human-ancestor/shreeve-text
http://www.nature.com/news/mystery-humans-spiced-up-ancients-sex-lives-1.14196
http://www.sci-news.com/genetics/science-european-hunter-gatherers-01722.html
http://news.nationalgeographic.com/news/2014/01/140126-blue-eye-spain-fossil-human-discovery-gene/





1 comment:

Pedro Francisco said...

Não sabia dos olhos azuis! Weird!
(as outras coisas também não sabia :p)