2013-08-20

Vamos jogar: Europa Universalis IV

A IV release de Europa Universalis saiu à coisa de 1 semana e tal, e é bastante bom.

Tão bom que me vou dar ao trabalho de tentar explicar o porquê.

Um simulador multifacetado, que, para além de ensinar história, o faz em segundo plano, sendo o primeiro objectivo, o de queimar horas e horas enquanto o jogador tenta, como Portugal, converter os Mouros de Ceuta, fazer um casamento com Castela, colonizar cabo verde e, por algum milagre, não falir até ao fim do ano!

Em termos gráficos, é como um grande jogo de tabuleiro. Apenas com filtros (podem ver o mapa, por exemplo, por religião, valor comercial, cultura, relações diplomáticas...) e um zoom que vai desde a vista mundial até aos detalhes de Vila Nova do Coito (que fica mesmo ao pé de Santarém, for real, google it!)


Podem escolher qualquer país (qualquer mesmo) do mudo e assumir o papel de Monarca, general e burguês ao mesmo tempo.

"Mas Peres, isso de olhar para um Mapa Mundi não é um tédio tão grande como ver musgo a crescer?"
De modo algum caro leitor! O nosso modesto País por exemplo, em 1444 temos a nossa zona contininetal, a madeira colonizada, os açores para lá caminha e uma ceuta cheia de shiitas (Mouros) que adorariam meter a cabeça do monarca Português na ponta de uma estaca.

Todo o comércio que vêm do mediterrâneo e vai para França, UK e mar do norte passa pelas nossas àguas, e competimos com espanha para ter uma fatia desses $$$. Podemos colocar inclusivamente mais mercadores em pontos estratégicos, como a Tunísia ou Genoa\Veneza para tentarmos desviar mais comércio de lá para os nossos portos, aumentando assim o valor das mercadorias que passam do Mediterrâneo para o Atlântico por Gibraltar.

$$$ Esse que é usado para pagar à tropa, manutenção de barcos, o governo e até avanços tecnológicos. Ser o primeiro País da Europa a ter mosquetes funcionais não é um mau negócio, mas de nada vale se os Francesses têm 140.000 homens de lanças e nós 2.000 com mosquetes.



Oh, não esquecer os descobrimentos!
Ou a religião!
Ou a cultura das províncias!
Ou o raio dos ingleses que nos chamam constantemente para Guerras com França.
Ou ...
Ou ...

Bem, deixo mas é, para não haver dúvidas:


1 comment:

Pedro Francisco said...

Quando quiseres descrever a nova história do Mundo Peres, já sabes que somos sempre ouvidos :D