2011-11-01

O dia em que a Europa morreu




O dia em que a Europa morreu, pode vir a ficar na história como o dia do referendo grego.

Numa jogada que eu não consigo compreender, o Primeiro Ministro Grego George Papandreou anunciou que vai fazer referendo ao novo programa de ajuda EU-FMI que envolve para além de mais 100 mil milhões de Euros, um perdão de 50% da dívida grega.

Isto num país que não tem um referendo desde 1974, e tem passado medidas de austeridade com punho de ferro no parlamento. Agora, depois de uma maratona negocial que obriga inclusive bancos a assumirem perdas de 50% na dívida grega, Papandreou "apanhou" um rasgo democrático e decide convocar referendo. Mas na verdade trata-se de um super referendo, em que se vai decidir:

  • Se a Grécia aceita mais um empréstimo de 100 mil milhões de Euros (Quase 40% do PIB)
  • Se a Grécia aceita ficar fora dos mercados financeiros nos próximos 40-50 anos
  • Se a Grécia quer 50% de perdão de dívida, ou declarar falência
  • Se a Grécia quer ficar na União Europeia
  • Se a Grécia quer continuar com o Euro
  • Se a Grécia quer um novo governo
Tudo isto, numa só pergunta.

Que acontece depois?

“Another half century of peace and prosperity in Europe is not to be taken for granted. If the euro fails, Europe fails. We have a ­historical obligation: To protect by all means Europe’s unification process begun by our forefathers after ­centuries of hatred and blood spill.” - Angela Merkel, 27/10/11




EDIT by Pedro: 'puxado' para cima, acho que vale a pena analisarmos isto melhor (o meu post seguinte foi automático porque estava escrito desde domingo, se não tinha-o adiado mais uns dias).

20 comments:

ArabianShark said...

O meu medo maior ainda é que, depois de o assunto da Grécia, a bem ou a mal, estar tratado, Portugal vá ser a próxima Grécia. Se, neste momento, seja lá quem for que "manda" (julgava eu que, a esta altura, era o FMI, mas, afinal, parece que o FMI só manda até certo ponto), em vez de andar a ameaçar medidas inconstitucionais como sonegar subsídio de férias e de Natal aos funcionários públicos em 2012 andasse antes à caça de parvoíces como o indivíduo que tem casa em Lisboa e recebe €1400 por mês ao abrigo de subsídio de alojamento (ou lá como se chama) por ter residência fixa em Braga, eu ficava um bocadinho mais descansado...

Sintra said...

=X

Peres said...

É dificil perceber se isto faz parte de um plano, ou é apenas o orgulho do Papandreou a falar mais alto.

Vejam uma coisa...
O perdão de 50% é da dívida privada, de bancos por essa europa fora, e corresponde a cerca de 130mil milhões de euros. Ao mesmo tempo, o fundo de resgate europeu, endivida a grécia em 100mil milhoes de euros.

Ora, o fundo de resgate europeu é cerca de 55% da Alemanha, 30 e poucos % da França, e o resto dos outros países europeus. A dívida grega está a passar da mão de privados para a mão de Países com este mecanismo. Ora, depois de todo o circo e soberba na última reunião europeia, Papandreou pode ter chegado à conclusão que está a vender o país, e a grécia já nem voz tem para decidir o seu futuro.

Será esta a única carta que lhe sobra para não ficar na história como traidor?

Sintra said...

"lavar" as maos de toda a culpa
yo soz dudes, but imma GTFO

Peres said...

Ninguem tem outro ponto de vista? O que Papandreou espera com este referendo?

Sintra said...

Nepia meu, vejo-me grego a olhar para este problema troiano.

Pedro F. said...

Ok, ok, eu digo.
Hipótese ingénua: eu acho que ele quer legitimidade para fazer o que vai ter de fazer.

Hipótese conspiracionista: ele perdeu a fé no que vai fazer, quer garantir que não afunda a Grécia mais mas não tem condições de fazer isso por ele. Vai tentar fazer o país seguir o caminho da Islândia. Tem como oponentes pessoas no partido dele e a França e a Alemanha.

Pedro F. said...

Nada diretamente a ver, mas o Paquistão: Governo não quer mais dinheiro do FMI

Sintra said...

Para quem clickar no link acima, removam o " no fim para chegaram ah pagina desejada.

Comeco a achar que toda esta cena de andar a pedir credito e entrar em divida eh uma macacada do caralho e tem que acabar de vez. Nao tem dinheiro para isto ou para aquilo? NAO FAZ! Ha que viver dentro das nossas possibilidades, nao acima delas! Portanto agora, acho que o melhor eh dar o default e tal como uma tartaruga, encolher pra dentro e aguentar ah bronca.
Mas eu tambem acho mal que so os devedores devam ser castigados. O Sr Credor achou-se muito esperto em andar a enganar e a emprestar dinheiro sou para depois se apoderar do devedor? Nao merecem o dinheiro de volta. Nao ha solucao em que saiam todos a ganhar. Alguem vai ter que perder, e se forem a perder de acordo com os desejos dos "vencedores" saiem a perder forte e feio.
Grecia e outros paises em situacoes semelhantes deviam ignorar completamente as entidades estrangeiras e escolher o melhor para eles (ou seja, o menos mau das opcoes que tem).
Eh claramente uma situacao "ta tudo fodido, bora minimizar os estragos". Que se fodam os lobbies e a pressao de fora!

Possivelmente, o Sr Papandreou pensa que o melhor eh ser o povo a tomar a decisao final, algo que parecendo democratico, nao deixa de ser idiota, pq penso q a maioria do povo eh ignorante e nao tem bem nocao do q precisam.

Enfim, antes eles que eu, que eu tbm n sei o q faria...

Sintra said...

Eh tipo a diferenca entre o cartao de credito e o cartao de debito.

Peres said...

Certo, mas uma coisa é quando um país deve dinheiro a um banco. Ai um país não paga e o banco fica caladinho.

Agora quando deves 70MM à Alemanha, e 90MM à França e dizes que não vais pagar...

Sintra said...

Temos pena, fossem espertos e nao emprestassem. Nao sinto o minimo de pena tanto pela Alemanha como pela Franca. Nunca deviam ter emprestado o dinheiro. Problema eh deles.

Pedro F. said...

Sabes que isso é tudo muito bonito mas não me parece que essa argumentação corresse bem.

No caso da Grécia o facto de ser o povo a decidir previne qualquer represália ás claras. Se fosse um governo duvido.

Entretanto, deixo aqui um link para um artigo acerca da UK querer sair da EU e um pequeno rant 'libertariano'.

Peres said...

"Merkel e Sarkozy exigem implementação "rápida" do acordo europeu"

O eixo Paris-Berlin não gosta destas coisas de democracias à ultima do hora. Quando tudo pensava que a grécia saía a dizer "amen" e de rabinho entre as pernas da última reuníão europeia, ora bem que saca de uma tragédia grega à moda antiga.

Vamos ver nos próximos dias de que material é feito o Papandreou. Ele vai reuniar amanhã com "Merkozy" e eles certamente vão pedir explicações.

Também há sempre hipótese de pressões nos bastidores por parte da Alemanha e França levarem o governo de Papandreou a cair antes de poder marcar o referendo (basta "convencer" 3 deputados para o governo cair), aí o programa de "resgate" avança.

Peres said...

Breaking: Ministro da defesa grego acaba de demitir as chefias militares da defesa nacional, força aérea e exército.

Anonymous said...

Diálogo entre um Francês e uma Alemã...
-- Let it spill over into the schools and churches, let the [demonstrators] pile up in the streets. In the end, they'll beg us to save them.
-- There's not enough [money] to go around, and the underclasses are starting to get desperate.
-- Of course they're desperate. They can smell their [country's] death, and the sound they'll make rattling their cages will serve as a warning to the rest.
-- Mmm. I hope you're not underestimating the problem. The others may not go as quietly as you think -- intelligence indicates they're behind the problems in [Athens].
-- A bunch of pretentious old men playing at running the world. But the world left them behind long ago. We are the future.

Sintra said...

"Sabes que isso é tudo muito bonito mas não me parece que essa argumentação corresse bem."

Argumentacao nenhuma! Eh simplesmente mandar a Franca e a Alemanha ah merda!
Olha a Islandia. Mandou a Holanda e o Reino Unido ah merda.
Eh muito simples, essa historia de pedir credito tem que acabar, duma forma ou doutra: ou se deixa de pedir credito ou se deixa de dar credito. Com sorte, todo este desastre economico vai ensinar alguma coisa.

Peres said...

União europeia cancela todo o dinheiro para a grécia até eles clarificarem posição

ArabianShark said...

Como soi dizre-se entre os fãs de StarCraft, "Hell, it's about time"!

Peres said...

Parece que alguém apertou os tintins ao Papandreous.

Já não vai haver referendo afinal. Quero é ver como os gregos vão reagir a isto...