2011-09-15

Antes dos grandes mamíferos, as grandes aves, também conhecidas como Dinossauros.

Já todos viram os Jurassic Park, mas foi preciso chegar ao 3º da série para introduzirem penas em alguns dos dinossauros mais conhecidos, como o Velociraptor.




Mas na verdade já há quase 2 décadas que os palenontólogos debatem a ligação entre as aves modernas e Dinossauros. O fóssil mais descarado é o conhecido "Arqueopterix de Berlim", que deixo aqui em baixo. Este fóssil é fantástico por combinar as duas espécies, e quem sabe, talvez seja mesmo um fóssil de transição entre Dinossauros e aves.



Mas agora, mais dúvidas se levantam. Será que justifica falar de fósseis de transição, quando cada vez mais se esbatem as diferenças entre espécies? Será que as aves modernas são sobreviventes da Grande Catástrofe que mudou o planeta à 65M de anos?

Falo é claro, de 2(3, já lá vou) descobertas que levantam um bocado mais o véu .

Primeiro, uma miríade de fósseis a darem resultados positivos para beta-keratina. Beta keratina é encontrada na pele de répteis ou nos bicos, garras e penas de aves. Ora, o importante desta beta-keratina é que é encontrada nos fósseis de criaturas cuja pele já se decompôs à milhões de anos, logo contaminação do fóssil pela pele está posto de lado. Isto significa que, tal como as aves (e não como os répteis), a beta-keratina era elemento estruturante do seu esqueleto ósseo! E não estou a falar de dinossauros pequenos, há inclusive fósseis de T-Rex a darem positivo para beta-keratina.

Segundo, e o que me levou a escrever este post, a descoberta recente no Canadá (go Sintra!) de penas de dinossauro em âmbar:






Os detalhes desta descoberta são simplesmente de tirar o fôlego! Não falamos apenas de proto-penas, a segunda e terceira imagem mostram estruturas já complexas, com adaptações não para o voo mas sim para a impermeabilização. Esta descoberta mostra que as penas podem ser muito mais comuns do que se pensava nos Dinossauros, e não só, vem ajudar a quebrar um grande mito... o da "idade dos grandes répteis".

A descoberta de penas, junto à já quase meia dúzia de corações bem preservados que mostram 4 cavidades (e não 3 como os répteis), apontam cada vez mais para "grandes aves", com super metabolismos, sangue quente, e comportamentos sociais (quem sabe, com as penas coloridas a diferenciar machos de fêmeas ou até comportamentos de "show off" como o pavão).

Cada vez mais, a ideia do dinossauro lento e reptiliano parece algo que só aparecerá nos filmes antigos do Godzila.

Edit:


11 comments:

Hal said...

Boa posta!
Faz-me confusão, assim à primeira vista, pensar num T-Rex com penas...

The times they are-a changin'

Sintra said...

Aposto q o T-Rex dava umas coxas assadas excelentes

Peres said...

Vê o edit Hal. Também não consigo pensar num Rex tipo pavão, mas algo desse género.

Sintra: Com aquilo que o Rex comia a carne não devia ser muito diferente á de abutre ou águia...

Sintra said...

eeehhhhh, ja n quero
as tantas era herbivoro!

Halloween said...

Tinha lido um artigo que dizia que eram necrófagos porque com aquele peso e com aquela estrutura muscular tinham forçosamente que ser bastante lentos.

ArabianShark said...

Uma vez que estive em Londres vi uma exposição que defendia a mesma tese. Também mencionava que o animal teria uma coloração vermelha à volta da boca, que, geralmente, está associada a necrofagia, e que os braços não lhe chegavam sequer à boca, para além de que o rácio entre o comprimento do úmero e o comprimento do antebraço é mais consistente com um necrófago que com um predador. Na altura, o animal ainda era descrito e representado como coberto de escamas de réptil.

Já agora, se os dinossauros eram antes aves que répteis, que dizer da pele de réptil fossilizada que (julgo) se tem encontrado e associado aos dinossauros?

Peres said...

Também já vi isso, mas não tenho certezas. A curvatura dos dentes sugere predador (a presa quanse se debate só se pode soltar num sentido: o fundo da garganta). Não sei até que ponto esse artigo leva em conta sangue frio vs sangue quente.

Peres said...

Interessante falares disso Arabian, mas acho que a expressão correcta será "mais aves que répteis".

Uma coisa é certa, a evolução não regride, ou seja, não dá passos para trás. Se os dinossauros tinham realmente 4 cavidades no coração, não há motivo nenhum para os considerar antepassados dos répteis (tal como não se pode dizer que o chimpanzé é antepassado do homem).

Creio que o modelo certo é o representado aqui:
http://www.grad.berkeley.edu/images/spotlight_ph_ri_tree.gif

Pedro F. said...

+1 :D
Não fosse o Google trackar isso tudo era o que fazia :P

katanas said...

Exelente posta... Super interessante, Nao e assim tao dificil de imaginar visto todas as semelhancas em muitos sectores da anatomis do dinossauro e na de uma ave.

Sintra said...

katanas, a tua cara eh um lagarto! tas te a sentir bem??