2016-09-07

A geração automática de informação e o problema que isso acarreta I

Neste momento, estou a ouvir Blue Ballad por Phil Woods.
Tenho a certeza que quem me estiver a seguir no Spotify conseguia ver o que estava a ouvir.

Mas o que é que é isso, no meio de 50 músicas de seguida que eu ouço? No meio de mais 100 pessoas que estão a ouvir as suas músicas?

Esta mania de publicar tudo é uma espada de dois gumes. Sem contexto, a importância das coisas vai-se aproximando de zero.

EDIT: Demarcada a vírgula que, por separar um sujeito do predicado, não pode existir.

EDIT: Assumo que o EDIT acima seja do Arabian. Obrigado pela correção. [Pedro]

2 comments:

Sintra said...

Sem contexto, e com a inundacao de informacao de coisas sem grande valor, tudo se torna desimportante.

Demasiada informacao so faz barulho e mascara as coisas importantes. Ha muitos anos atras, uma pessoa que se informasse a ler jornais era capaz de se tornar mais sabia. Hoje em dia, penso que o contrario eh verdade; quanto menos jornais e televisao (e internet?), melhor.

Pedro Francisco said...

Existe o movimento Slow News Network. O primeiro post é em francês mas os seguintes em Inglês: http://www.slownewsmovement.com/ .

Pessoalmente, ando a tentar não ler notícias normais na net e ler só no Expresso ao fim-de-semana.

E comprei um Kobo para tentar deixar de ler num ecrã de computador.