2012-07-09

Relativo à futilidade da petição "Pedir ao Ministro Miguel Relvas que se afaste do Governo"

Pediram-me que partilhasse a petição Povo Português: Pedir ao Ministro Miguel Relvas que se afaste do Governo.


Não vou perder tempo com isto fora partilhar este post no Facebook e amigos.
Problema 1: o Sócrates continuou lá depois de se ter formado a um domingo; este vai continuar por lá;
Problema 2: vão dizer que mesmo que mesmo que ele não tenha curso continua a fazer o seu trabalho bem (é discutível, mas é o que vão dizer)
Problema 3: o facto de ser uma licenciatura esquisita não prova nada; lembro-me do caso do indivíduo que foi absolvido da acusação de corrupção porque apesar de ter recebido dinheiro não estava num cargo em que fosse capaz de cumprir o prometido!! (Peres, acho que foste tu que me mostraste essa notícia, não consigo encontrar o link, tu consegues?) (obrigado ao Peres pelo link!)
Problema 4: petições online aparentam não servir de nada (via Aberto até de Madrugada (nos comentários)). Talvez algo chamado de "Movimentos" numa plataforma do governo (site muito lento) sirva de algo, mas eu não sei (na altura da PL118 usaram-se petições online; posso apenas deduzir que não tenham vínculo legal mas sirvam para ter alguma influência; por outro lado aqui fala-se da possibilidade de submeter uma petição eletrónicamente; de qualquer maneira, terá de ser submetida).

Por tudo isto, não vou assinar nenhuma petição online relativa ao assunto em questão.


Se querem mais petições online e assuntos pelos quais nos devíamos mexer, encontrei sem querer este blog cujo conteúdo me parece ser muito interessante e cujo autor deve ter uma paciência de santo: Corrupção mostra a sua capacidade de neutralizar a justiça, mesmo entre os poderosos  (esse post em particular demonstra como o delator de um caso de corrupção é acusado de ter cometido uma ilegalidade (coisa que fez, mas.... enfim, leiam e tirem as vossas conclusões)). Pessoalmente, irei subscrever esse blog.

EDIT: Curiosamente, o link que pus no final do post é uma actualização à situação que referi no ponto 3 (e que o Peres entretanto deu o link): sujeito A contactou B para falar com irmão de B para vender/facilitar/validar um terreno qualquer; B gravou conversa; B foi acusado de gravar conversa (crime); sujeito A foi ilibado na notícia referida no ponto 3.

8 comments:

Anonymous said...

Cada vez fico mais feliz por ter realizado o meu sonho de quase 20 anos e ter vindo viver para Londres.

Vinde ter comigo que cabeis...

Halloween said...

Respondendo honestamente, é coisa para funcionar? Não.

Assinei em todo o caso porque sinto necessidade de dizer algo sobre o assunto. No mínimo, acho que é preciso espalhar aos setes ventos que este senhor é, sendo políticamente correcto, um filho da puta.

Fora Relvas. Mandasse eu e acabavas com a cabeça em cima da Red Keep.

Anonymous said...

La' me esqueci de me identificar; as minhas desculpas. E' que aqui, o proxy tem efeitos nefastos sobre logins e tais.

ArabianShark.

Carlos said...

Which country’s debt is 1000% of GDP?


Hmmm Londres... City of London... Hmmm...

Peres said...

Aqui tens o link Pedro:
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1551215

Também eu acho piada às petições online, movimentos facebook e chatrooms de "revoltados", senão vejam:

Todos eles implicam que vossemecê esteja de rabinho quentinho sentado no sofá\cadeira, tipo "estou tão revoltado que quase que me levanto!"

A unica coisa que metia este país a mexer era um novo Remexido ou revolta do Manuelinho.

Pedro Francisco said...

Obrigado Peres!
Curiosamente, o link que pus no final do post é uma actualização à situação: quem denunciou a situação foi acusado de ter cometido uma ilegalidade ao gravar a conversa.

Sintra said...

Peres, curti brutalmente o teu comentario "estou tão revoltado que quase que me levanto!"
tou praki a rir-me q nem um parvo
fdp como uma frase tao simples da pra fazer tanto rir

Pedro Francisco said...

Caso Público: Relvas: "Fui ilibado em toda a linha e para mim este processo está encerrado"