2011-07-25

OS X Lion (actualizado)

Confirmado possivelmente que o Google tem razão quando acha que eu não estou bem, aqui fica um link para o review do OS X Lion, via o Emanuel (se quiseres um link para o teu blog aqui, diz).

Resumo da review: a tornar o computador um frigorífico desde 1984.

«Finally, we come to the heart of the matter. In Lion, what does Apple say to the god of file system death? "Not today."»

Um resumo das muitas páginas da review da Ars: a interface foi melhorada e arranjada mais uma maneira de iniciar programas, usando a mesma ideia de como se arrancam programas num smartphone actual, usando o Launchpad. Pessoalmente, preferia a pastinha dos programas estar na Doca e abrir de lá a lista ou usar o Finder, mas eu não devo ser a maioria dos utilizadores de Mac.

Depois temos o Mission Control que face ao equivalente no Gnome 3 é uma treta. Pareceu-me mal conseguido mas como há a hipótese de não o usar e usar só a doca não deve haver grande problema.

Temos ainda algo também vindo do mundo dos smartphones que é, de forma simplificada, a forma de uma aplicação indicar que pode ser terminada para poupar bateria/ciclos de processamento. Se o OS X achar que a app não está a ser usada, termina-a de forma silenciosa. Se por acaso o utilizador resolver lá clicar o OS X arranca-a como se não fosse nada com ele, visto que ela era suposto estar aberta.

As aplicações podem ainda suportar várias versões dos documentos e a Time Machine funciona com uma "cache" do backup, as in, mesmo que o disco de backup não esteja ligado é possível usá-la parcialmente.

As aplicações passarão a funcionar também num sistema semelhante aos smartphones em que indicam as permissões que necessitam e acedem a diversos componentes como sistemas de ficheiros através de componentes separados, facilitando o isolamento dos diversos componentes e impedindo que, por exemplo, um programa que seja comprometido num componente específico tenha acesso à directoria Home, p.ex.. O Webkit, agora na versão 2, também funciona com componentes separados à partida (o Chrome fazia isso também mas aplicando muitos patches ao Webkit1).

Para o developer há uns goodies novos que não me apetece descrever :p

Enfim, o OS X continua igual a ele mesmo. A Apple continua a inovar na estupid... simplificação das interfaces (clarificação: à excepção do Launchpad que me pareceu horrível o resto das features são bem pensadas e bem vindas) e a fazer o que a Microsoft devia estar a fazer com o Windows para massificar o uso do computador pessoal.

EDIT: o Árabe diz que o Mission Control está melhor agora, IHHO.

6 comments:

Peres said...

Holy mother of, são 19 páginas de "review"? Mais parece um manual, qual review.

Sintra said...

li o comentario do Peres e desisti de abrir o link ao review :P

sorry Gouchinha =\

Jamex said...

O inicio da review inspirou-se no nosso ministro das finanças. No XX Portugal.... perdão.. a Apple.

Epá acho que tem lá muita coisa fixe mesmo para quem n usa mac.

Peres said...

....Apple....Mac....Gnome....zZzZzZzZ...Microsoft!

HA! Heresy! "...devia estar a fazer com o Windows para massificiar o uso do PC"

Wait what? O PC perdeu o trono? Quando?

Halloween said...

Se depender de mim, nunca o perderá Peres.
Quantos menos pessoas usarem isto mais paz de espírito tenho :D

E mais posso gozar com eles, claro.

Sintra said...

que granda hater este knub4