2011-04-09

Procura-se o Desaparecido :p

4 comments:

Peres said...

Lol?

D. Sebastião, que foi para o poder aos 14 anos, teve uma educação rigorosa, mas era de mau temperamento e o seu humor variava. Não sabendo reconhecer quem de valor, rodeou-se de todos aqueles que o bajulavam, e foi afastando quem alguma crítica lançava. Depressa ficou com uma corte que apenas alimentava os seus desejos de guerra e cavalaria. Endividou o reino através de vários empréstimos para refazer o exército, e apesar de subir os impostos os seus sonhos bélicos tornaram-no popular entre o povo.

Deixa a corte em 1572 para ir para o norte de áfrica á frente de um exército, onde se meteu no meio do primeiro conflito que encontrou, apoiando uma das partes. O exército portugues, pobre e mal disciplinado, foi desastrosamente derrotado, tendo á sua frente um rei sem herdeiros, e deixando atrás de si um país individado.

Apenas o facto do rei ser amado pelo povo deixou a lenda do "Sebastianismo", porque, em termos de rei, tivemos poucos que fossem piores ou mais mal preparados. Estamos a falar de 70 e poucos anos depois de termos chegado á India e ao Brasil, e este rei, tendo tudo para triunfar e ficar na história, deixa o pais nas maos dos espanhois e dos credores.

Procura-se: D.Dinis ou Marquês de Pombal

Sintra said...

Procura-se eh golpe de estado. Com direito a execucao de certos politicos - *cough*socrates*cough*
O mais giro eh que ninguem em Portugal quer pegar no pais... so o estado em q tamos.....

Pedro F. said...

Peres para comentador político! I'm serious!

Peres começa a fazer podcasts semanais do estado da nação :D

Peres said...

Se fosse comentador político tinha sido algo assim:

"Foi um acto de imensa irresponsabilidade. D.Sebastião não tinha a experiência necessária para liderar o país, e, com uma agenda neo-liberal explícita, levou a geração mais qualificada do país na altura para uma guerra sem retorno. Os ratings da monorquia desceram em resposta, o endividamento aumentou, os impostos aumentaram, e a verdade é que os súbditos percebiam bem que a ajuda externa era inevitável."

Hmm, "i prefer it my way".