2010-12-18

Corrupção a um euro por mês

Vejam este artigo da Sábado relativamente ao financiamento interno do partido.

A pirâmide da cacicagem

E já agora, cito a conclusão:
(...) Quem manter a pureza virginal e entrar na política sem recorrer a estas práticas é cruelmente cilindrado. Dos deputados dos grandes partidos, são excepções os que nunca tiveram de promover este tipo de práticas, ou de conviver com elas, ou de as aceitar sem crítica. Quase todos os nossos representantes foram ou são coniventes com isto. (...)

8 comments:

Sintra said...

Bom artigo. Enfim, ja todos sabiamos que os nossos politicos sao, na sua vasta maioria, corruptos. O artigo explica como e porque.
Sera que isto eh assim em todo o lado? Se sim, porque raio nalguns paises os politicos ainda fazem alguma coisa a favor da populacao?

Claymore said...

Porque infelizmente é um ciclo vicioso...
Não se quer gente honesta na politica, porque não é possivel fazer chantagem com eles.. logo não são controláveis. São impedidos de entrar pois são uma ameaça ao "tacho politico".
No entanto, tudo isto tem base na falta de cultura do povo, que continua a aceitar e calar ou então, prefere simplesmente queixar e não fazer nada.

Alternativas? Executar toda a classe politica ?
Não sei... se tiverem boas ideias, falem!

ArabianShark said...

@Sintra: Pode ser ingenuidade da minha parte, mas eu acredito piamente que nos (nalguns) países civilizados, existe uma mentalidade de liberdade/responsabilidade que funciona bastante bem. Julgo que isto se prenda (principalmente, mas talvez não exclusivamente) com o facto de que em certos países, os limites de mandatos aplicam-se a muito mais cargos que nesta nossa terrinha. Por exemplo, no Reino Unido, não podes assentar praça em deputado e ficar deputado até receberes um tacho na Caixa Geral de Depósitos com um salário exorbitante durante quinze dias e uma pensão obscena até morreres, mas podes ir desempenhando vários cargos até que, invariavelmente, se acaba a mama e voltas a ser um cidadão privado. Suponho que por isso haja menos incentivo de enriquecer às custas do povo, porque hás de voltar a ser do povo e não te convém encravares-te.

O artigo é interessante, mas podia estar mais bem escrito...

ArabianShark said...

@Clay: Executar toda a classe política? Talvez não seja a pior ideia. Aqui há uns meses, um amigo meu e eu cozinhámos uma ideia de nos colarmos aos deputados pelo nosso distrito e de pormos sob vigilância, de os abordrmos "casualmente" na rua ("Olha, o senhor não é Fulano de Tal? Deputado pelo distrito de Sítio Tal?") com uma câmara oculta no colarinho da camisa e de lhe extorquirmos um comentário mais cândido, sobretudo se o conseguíssemos apanhar à porta de uma discoteca na véspera de uma votação qualquer imnportante (talvez não fosse difícil) e depois publicar as nossas descobertas no YouTube (e nos jornais, se se proporcionasse). Assim que os deputados percebessem que estão mesmo na mira do olho público endireitavam-se (ou não).

Entretanto, isto traz-me até ao que será a parte 2 de @Sintra: Temos demasiados políticos. O distrito de Viseu elege nove (9) deputados, dos quais nenhum faz nada, porque algum dos outros oito há de fazer seja lá o que for que compete a cada um. Subsequentemente, nenhum é particularmente bem pago (mas também, para o que fazem...), ainda que recebam umas regalias todas catitas. Por outro lado, a cidade de Londres tem quase tantos habitantes como Portugal, mas o círculo eleitoral de Londres inteiro elege um único MP, que sabe, à partida, que tem que ser ele a trabalhar ou a mama acaba-se mais cedo que o que ele julgava, mas que também é muito mais bem pago que os nossos deputados, seja lá por que bitola for, e daí surge menos incentivo à corrupção.

ArabianShark said...

Já agora, não seria demais mencionar que me parece que as pessoas não se aperceberm do valor do voto. Parece-me obsceno que alguém aceite votar a favor de um candidato só porque é de borla ou porque é de borla e vem com um brinde.

Peres said...

Qual a alternativa? Monarquia? Comunismo? É um daqueles casos de comer e calar...

Sintra said...

Nao interessa.
GOLPE DE ESTADO, SANGRAR ESSES FDPS

Pedro Francisco said...

Isso resolve-se votando na extrema, visto que o centro está corrompido. Não é a solução melhor e arriscas-te a sair o tiro pela culatra mas é melhor que comer e calar...

P.S.: mostrei isto a um gajo do PS (não filiado no partido) e ele disse que era treta, vou tentar convencê-lo a vir cá defender o ponto de vista dele.