2010-01-24

Lamento meus caros

Mas isto nunca se tratou de saber quem tem razão e quem não tem, mas simplesmente de quais aqueles que produzem aquilo que é mais importante (*).

Se fores um Muçulmano, tiveres muitos filhos, e produzires riqueza (*), então tu, meu filho, tens razão.

Se fores Ateu, fores simpático com toda a gente, toda a gente se aproveitar de ti, mas tu continuares a insistir em ser "bom", mas nunca produzires riqueza (*), então meu filho, tu não tens razão.



O que nos leva a várias conclusões curiosas
:
  1. no somatório dos tempos, nenhum grupo é melhor que o outro
  2. apesar de num instante, um ser melhor que o outro
  3. os grupos melhores atraem abutres; esses abutres desconfiguram o grupo/apropriam-se dos seus valores para os seus fins (de forma consciente ou inconsciente)
  4. o outro grupo sabe o que os outros fizeram de mal, e eventualmente torna-se melhor
  5. os abutres mais tarde estarão no grupo "melhor", por mudança de lado ou falha de apreensão dos valores originais.

Repetir 3), 4) e 5) para sempre.



Ou, se preferirem um análise mais optimista
:
  1. todos somos iguais e diferentes
  2. o grupo melhor alcança-o por seu mérito
  3. outro grupo apreende as qualidades do 2) e acrescenta algo seu, e ultrapassa o 2)

Repetir 2) e 3) para sempre.




(*) o que é o melhor é o que, no futuro longínquo, é o melhor para o Universo, através de uma espécie de darwinismo biológico, social, ecológico, celestial, que é atingido através de sucessivas permutações, neutras na sua base [nem boas nem más], do Universo.


Dada a impossibilidade de nós, como filhos do Universo, de conseguir prever o que é realmente mais importante, e tentativas consecutivas de aproximar o Universo através de visões simplificadas, é passível de admissão, de um ponto de vista de um modelo intelectual, de um Deus que nos ama e nos faz crescer através da adversidade, como meio apreensão da inexplicabilidade do meio envolvente, quando considerado no seu todo.




Adenda: ah, queria deixar aqui claro que eu não acho que isto seja um processo racional; estamos mais presos à nossa base biológica e instintos do que gostaríamos de admitir. Uma pessoa não pode ser 100% lógica; isto prende-se com o facto de não sermos capazes de abarcar toda a extensão de tudo o que fazemos; temos hábitos impostos pela nossa biologia e sociedade dos quais ou não temos consciência ou não temos consciência da necessidade que temos de os praticar. Uma espécie de caos social que permite que os comportamentos benéficos a curto/médio/longo/whatever prazo emerjam.

Mesmo que os benéficos sejam na verdade "maus".



Adenda2:
The original role of government is to provide the coercive power to enforce the social contract (and in commercial societies, contracts and covenants generally). Where government does not exist or cannot reach it is often deemed the role of religion to promote prosocial and moral behavior, but this tends to depend on threats of hell-fire (what Hobbes called "the terror of some power"); such inducements seem more mystical than rational, and philosophers have been hard-pressed to explain why self-interest should yield to morality, why there should be any duty to be "good".

Yet cooperation, and even altruism and morality, are prevalent, even in the absence of coercion, even though it seems that a properly self-regarding individual should reject all such social strictures and limitations. As early as 1890 the Russian naturalist Petr Kropotkin observed that the species that survived were where the individuals cooperated, that "mutual aid" (cooperation) was found at all levels of existence. By the 1960s biologists and zoologists were noting many instances in the real "jungle" where real animals – presumably unfettered by conscience and not corrupted by altruistic liberals – were cooperating.


EDIT: alterado a data apara aparecer no topo do planet

19 comments:

Sintra said...

Um muculmano nao pensaria assim. :D

Gostei das tuas conclusoes, reflecte bem o que se tem passado ao longo dos tempos e o que acontece ainda hoje, e estou totalmente de acordo.

Receio bem eh que a tua explicacao para o que eh mais importante nao seja suficiente. Simplesmente, o que eh importante depende... Talvez esteja a ser subjectivo, mas para nos os sers humanos o importante eh aquilo que eh importante para o universo?
Acho dificil definir esta importancia, e tenho o "feeling" que a tua definicao nao serve.
Mas vejo que no paragrafo seguinte tambem poes em causa a tua definicao.

"estamos mais presos à nossa base biológica e instintos do que gostaríamos de admitir"
Eu acho que nos somos um animal muito instintivo e que eh preciso muito esforco para analisar as questoes/problemas que nos surgem na vida racionalmente. Estou completamente convicto que sem disciplina e repreensao degenerimos facilmente e rapidamente num bicho instintivo, egoista e perigoso.

Pedro Francisco said...

Tens razão, expliquei-me mal.

A frase do que é importante para o Universo assume a teoria que eu não explicitei. Nós somos o produto do Universo produzir ordem a partir do caos.

Não entendas isto como "a sociedade funcionaria melhor se tudo fossem leis estritas", mas antes como "no início não havia nada e havia uma pletora de coisas que podem existir mas não existem, e agora está-se a estruturar tudo o que pode existir".

Como uma árvore que se vai bifurcando sem nunca parar a bifurcação, e que está sempre a aumentar em termos e "coisas", seja seres, objectos, fenómenos, conhecimento.

Para nós, como seres humanos, interessa-nos não nos matarmos todos uns aos outros e sermos felizes, entre outras coisas.

Do ponto de vista do Universo, talvez lhe interesse criarmos uma AI que vai gerar outro Universo para começar tudo de novo, sei lá :P

Mas acho que seria uma pena, do nosso ponto de vista e do Universo, que nos matássemos todos :)

Pedro Francisco said...

Quanto aos instintos, estás a assumir que todos os instintos são maus.

Se não fosse o instinto de amar, ou de sentir alguém ao nosso lado ou [inserir definição que nós arranjámos para explicar racionalmente aquilo que leva a que possamos dar continuidade à espécie, intencionalmente ou não], não estaríamos aqui.


E aqui entra de novo a coisa do, não sabemos tudo o que é importante para nós.

Tens conhecimento de uma pequena parte do que é importante para ti, e dessa pequena parte sabes exactamente porque é importante para ti de uma pequena fracção.

Os nossos instintos indicam-nos como podemos ser felizes; estão modelados, por milhares de anos de evolução para garantir a nossa felicidade como seres individuais; mesmo que faças o "mal", se fores um indivíduo são outros instintos entrarão em conflitos com os primeiros; e terás a consciência e todos os mecanismos interligados do cérebro a aprender com o erro.
Ou então a sociedade pune-te.

A questão é que tens uma conjunção de instintos e funcionalidades básicas e já não tão básicas a funcionar em conjunto, para além da "rede de segurança" que constitui a sociedade a influenciarem-se mutuamente para garantir que, no geral, as coisas correm pelo melhor.

Basicamente, o que quero dizer é que
é muito importante seguir os nossos instintos.

Desde que:
instinto -> reacção imediata de "está bem, está mal" -> decisão de seguir o instinto -> modelação de teoria sobre o que fazer da próxima vez que ocorrer esse instinto <- sociedade <- consequências.

Ou seja, aproveita os bons instintos imediatamente para ficares feliz, canaliza/processa os maus instintos para outras actividades que te deixem feliz, aplica os maus instintos se o que vier como consequência disso for positivo (p.ex., responder a um bully).

E o que é ser feliz? Pois. Ninguém sabe a 100% :p Logicamente não vais lá. Instintivamente também não. É o resultado da mecânica.

É o resultado da obra de Deus(*) :P

(*) muito provavelmente, metaforicamente falando :P

Sintra said...

Ser feliz parece-me importante e um bom objectivo a conseguir.
Capaz de ter que haver algum cuidado com essa felicidade, porque imagino que um psicopata seja feliz a esventrar as outras pessoas.
Dai a necessidade de alguma moral ne?

Sintra said...

Nao tinha visto o teu segundo comentario.

"Quanto aos instintos, estás a assumir que todos os instintos são maus."
O que eu queria dar a entender eh que seguir imediatamente um instinto sem consideracao pelas implicacoes eh mau. Qualquer instinto!
Uma gaja toda boa pisca-te o olho e o instinto diz-te VAAAAAAAAAAAAAAAAAMOS e tu vais. Divertes-te e foste feliz.
Mas omg apanhaste sida ou emprenhaste a rapariga.
Pode ter sido um mau exemplo e de mau gosto, mas eh so pra transmitir a ideia de que seguir os instintos sem pensar um pouco pode ser desastroso.
Ainda aparecia o namorado dela e dava-te um tiro GG.

Pedro Francisco said...

Ok, fair enough.

Reformulando, eu acho importante sentirmo-nos livres de seguir os nosso instintos depois de uma aferição rápida.

Dizer que não podemos seguir os instintos dá-me ideia de algo deste género:
* ter instinto
* reprimi-lo
* nesse dia à noite decidir "a próxima vez que tiver este instinto vou segui-lo"


Quando um instinto pode ser algo tão simples com "hoje em vez de ir pelo caminho B em vez do A".

Obviamente, depende da situação, concordo com a tua aferição do último comentário :P

Sintra said...

Tinha escrito alto texto aqui mas entretanto perdi o sentido que queria tomar :P

Obviamente que ha instintos e instintos.
A moral simplesmente equipa-nos de antemao de como reagir perante certos instintos.
Um gajo insulta-te na rua; vais la a correr bate-lo ou ignoras? A decisao que tomas eh resultado da educacao e moral que te deram (e tbm da experiencia de vida). Podes ser uma pessoa extremamente irritadica e conseguires suprimir o desejo de ir ah porrada.
Pa, mas se tiveres indeciso entre o pastel de nata e a bola de berlim n precisas de pensar 2 vezes, podes escolher ao calhas sem preocupacoes.

Portanto n, n da pra seguir os passos
* ter instinto
* reprimi-lo
* nesse dia à noite decidir "a próxima vez que tiver este instinto vou segui-lo"

No entanto, podes usar essa noite pra analisar a tua decisao.
Nao vale a pena viver com medo, mas viver inconscientemente eh que nao.

Halloween said...

Acho incrível ninguém ter dito isto ainda, mas cá vai: TL;DR :D

Halloween said...

Agora sim, já li.

Os nossos instintos são o resultado de milhões de anos de evolução, e não algo pré-programada há 12 mil anos atrás como certos otários (*aham* sith lord do vaticano) nos querem impingir.

A partir destes instintos, foi-se construindo algo uma camada acima (chamemos-lhe assim), que são os valores morais; para os perpetuar, surgiu a cultura (filosofia do 11º ano, se bem me recordo).

Hoje em dia, penso que estamos mais conscientes das nossas limitações instintivas do que nunca; sabemos perfeitamente que temos uma tendência evolutiva destructiva, isto é, que não temos problema em tirar o que nos apetece e matar o que se intrometa entre nós e o nosso brinquedo.

Citando o Sintra, "Estou completamente convicto que sem disciplina e repreensao degenerimos facilmente e rapidamente num bicho instintivo, egoista e perigoso." - concordo; basta ver, aliás, o que acontece quando os pilares da sociedade abanam ou caem (como por exemplo no Haiti, onde se andam a matar estupidamente).

A verdade é que isto é profundamente triste. Somos seres formidáveis, mas temos que nos empenhar mais em alterar comportamentos e mentalidades. A religião não é solução porque, como a frase da wiki tão brilhantemente expõe, as morais são ensinadas sobre ameaça de sofrimento eterno... e o reforço positivo é sempre melhor do que o reforço negativo. Como se altera isto, lamento informar mas não existe solução rápida..... talvez se deixarmos de invadir paises por causa de petróleo as coisas melhorem.

Para concluir, deixo-vos uma frase da Mafalda (na sua versão original em espanhol, mas penso que se percebe mto bem):

"Es increíble constatar lo mucho que ha avanzado la humanidad desde el arco y las flechas hasta las bombas nucleares y deprimente lo poco que han cambiado las intenciones"

Sintra said...

Yo Blultycub, im really happy for your debt and imma let you finish, but this is the worst site to come spamming of all time!

Jamex said...

Meus caros amigos acho que andam a complicar.
Todos querem ser felizes e tal.
Mas no fundo o que cada um quer é arranjar uma gaja/gajo e mandar uma F.....
E a sociedade evoluiu porque o homem arranjou maneiras estranhas e complicadas de conseguir isso.
Tudo gira a volta disso.
Simples.
Pensem bem, mesmo muito bem naquilo que eu disse.
Se forem descascando todas essas questões como se fosse uma cebola, vão ver que no fim vão só ficar com:
Sexo.

E pk? Porque isso nos dá prazer... daa.
Porque raio é que as Drogas tem sucesso?
Porque o nosso cérebro é viciado em prazer :D

Carlos said...

Jamex:
De facto vivemos para o prazer. Intensivamente aha :D
Mas discordo duma coisa. Epá, não é só sexo. Eu adoro também comer por exemplo. E principalmente comer muito com pessoal que gosta de beber comigo. Adoro um copo de vinho tinto, ou 2! Adoro ver comédias com pessoas também. E a lista fica grande.. onde é que descascas a cebola até ao sexo em tudo?
Eu diria que o prazer é uma consequência do nosso cérebro velho, o anterior ao neocortex.
O cérebro velho actua como o ego/deliberador ou motivador para cumprir necessidades básicas do organismo, tendo como reacção o prazer Por outro lado neocortex, ou cérebro novo vem permitir atingir esses resultados de forma mais optimal, ou então produzir abstracções mentais de alta complexidade inúteis como as que viste neste post.

Halloween said...

Carlos e Jamex, convenceram-me. A equação humana resume-se a copos e caibradas e, não nos poderiamos esquecer, ao glorioso ^^

Halloween said...

Sintra: LOOOOOOOOOOOOL GG :D

Carlos said...

Halloween:
Mandar umas quecas, beber uns copos, divertir com os amigos, rir muito. Chorar também faz sentir bem de vez em quando.
Não estou a ver muito mais que se pode tirar disto. Resumidamente, divertirmo-nos bastante, o mais possível. Ou citando o Katanas "The reason why everyone does everything.. for the LULZ"

katanas said...

Esse é um quote de um quote provavelmente de um quote.... :P Mas é vdd!!

Jamex said...

Comes para ter energia para o Sexo :D
LOL
E beber para poderes ver o parceiro do lado ainda mais bonito para o SEXO.
E ver comédias para ficar-mos de bom humor para o SEXO.
lololol

Carlos said...

Jamex,

Damm! Everything to save the species aha

Pedro Francisco said...

Merda pos bots v2.