2009-04-07

A beleza das patentes de software

Volta e meia alguém me atura a falar das patentes de software.

As pessoas que as defendem entendem que é uma maneira de dar lucro a quem tem trabalho. E isso eu concordo, e não estou dentro do assunto o suficiente para afirmar que não devem existir patentes de software. Acho, no entanto, que com a democratização do mundo da informática a mera existência de patentes de software é nada mais que um bloqueio à capacidade do Average Joe fazer alguma coisa, através de limitações artificiais que restringem o mercado aos grandes jogadores que têm guito para vencer as barreiras legais.

Algumas das patentes que existem e que demonstram bem o estado das coisas são mencionadas neste artigo que se dedica à análise das patentes de software, mencionando algumas que a Microsoft tem nos E.U.A.:

* Duplo-clique num botão (6,727,830)
* Agrupar botões da task bar (6,756,999)
* Usar o corpo humano como meio condutor de electricidade e dados (6,754,472) (há prior-art, mas foi garantida à MS)
* O equivalente ao comando sudo do Unix (6,775,781) (conceito existente pelo menos desde 1980)

A GNU tem algumas páginas sobre o assunto. Salvo erro o único caso em que achavam que se calhar as patentes eram aceitáveis (porque não dava para desenvolver em segredo ou os custos de investigação eram grandes) era no caso das indústrias farmacêuticas (e mesmo assim, tinham as suas dúvidas).

Patent Reform Is Not Enough [gnu.org]

7 comments:

Peres said...

Sou completamente a favor de patentes durante uma fase de desenvolvimento de um produto ou ideia, mas assim que o objecto final está desenvolvido, ou num prazo de 6 meses - 2 anos depois, o objecto deixa de estar patenteado.

Que trás isto? Segurança para quem desenvolve, em que se alguém roubar a ideia/produto e o apresentar ao publico mais depressa não fica com crédito / patente, e depois do prazo terminado, a liberdade para usar a ideia / produto para gerar outras ideias / produtos.

Pedro Francisco said...

Perdi os acentos de novo, mas que raio... Nao tenho conhecimento para dizer que nao concordo com patentes "no mundo real" mas ainda estou para ver uma patente no campo de informatica que nao seja uma parvoice e nao seja mais que uma maneira de bloquear concorrentes e nao de proteger investimentos.

Sintra said...

Isto das patentes faz lembrar aquelas brincadeiras de miúdos. "Ah mas eu pensei nisso primeiro!"

Peres said...

É mais o caso de colocar o teu nome numa cadeira, e dizer que a partir de agora, é tua.

Sintra said...

Ou isso. E depois partes a cadeira e descobres que tens que pagar por ela, porque não é realmente tua.
E o Peres agora tem conta no blogger. Este Goucha é como água, tanto bate que fura.

Pedro Francisco said...

O Peres não tem conta no Blogger. De há uns meses para cá Blogger Account == Google Account. O Peres já tinha Google Account, a única coisa que fiz foi adicioná-lo ao blog :)

Sintra said...

És rasteirinho tu!! :D